1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura

NY reinaugura "A esfera" em memória ao 11 de setembro

A escultura de Fritz Koenig fora soterrada, juntamente com o World Trade Center e cinco mil vidas. Agora este símbolo de paz retorna a NY.

default

A obra de arte resgatada

Durante mais de 30 anos a obra de um escultor alemão adornou a entrada do World Trade Center: Die Sphäre (A esfera) representa a esperança de alcançar a paz mundial através do comércio internacional. Resgatado das ruínas, o globo monumental de Fritz Koenig foi reinaugurado nesta segunda-feira (11), quando se completaram seis meses desde o atentado terrorista às Torres Gêmeas.

Koenig foi um dos convidados de honra da cerimônia no Battery Park, no extremo sul de Manhattan. Ele viajou para Nova Iorque com o coração na mão. Poucas semanas após o 11 de setembro, o artista já pudera constatar os danos à sua peça de bronze e aço, com seis metros de diâmetros: "A esfera está perdida, assim como o WTC", declarara.

Mas, justamente por haver sido deformada pela explosão seguida de incêndio e desabamento, a escultura de Koenig foi escolhida pela prefeitura da cidade e por diversas comissões de artes para constituir o centro do parque do luto, próximo ao terreno do WTC. Seus amassados e rupturas são agora mais um testemunho da violência destrutiva e do ódio cego que fizeram desaparecer aquele símbolo da democracia, do ponto de vista norte-americano.

Agora, Koenig pôde vivenciar como sua obra reconquistou a aceitação dos habitantes da metrópole. " A esfera pertence a Nova York como o Hudson e o East River", declarou uma participante da inauguração, de 58 anos de idade, "Foi lá que encontrei pela primeira vez aquele que seria o meu marido. A fonte com a escultura era um ponto de encontro para centenas de milhares, ao longo das décadas."

Poder curativo da arte

Além da Esfera, uma outra obra celebra os seis meses da catástrofe nova-iorquina: a partir da noite de 11 de março, duas gigantescas colunas de luz redefinirão o horizonte da Big Apple, marcando simbolicamente o local das Twin Towers. Trata-se de uma obra conjunta, que ocupou numerosos artistas e técnicos. Ultrapassando de longe os 400 metros de altura da prédio original, 44 projetores de alta potência (US$ 1200 por unidade) lançam seus fachos luminosos, quase dois quilômetros céu adentro.

Para a Municipal Art Society, que tornou realidade o imaterial monumento, Tribute in light representa a sublimação almejada pelos nova-iorquinos, tão sofridos. Um de seus criadores, Richard Nash Gould, do "Creative Team", resume este sentimento: "Lá onde a escuridão dominou, brilha agora a luz."

O prefeito de NY, Mike Bloomberg, também vê uma estreita conexão entre o globo de Koenig e as colunas coletivas: "Ambos os monumentos representam os poderes curativos da arte e simbolizam a força vital e a coragem dos Estados Unidos, assim como a indestrutibilidade da cidade de Nova York."