1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

"Nunca seremos intimidados pelo terrorismo", diz Cameron

No aniversário de dez anos dos ataques de 7 de julho de 2005 em Londres, premiê britânico reconhece que ameaça terrorista continua real. Cerimônias e minuto de silêncio lembram as 52 vítimas dos atentados.

default

Prefeito de Londres, Boris Johnson, (esq.) e David Cameron em cerimônia no Hyde Park

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, conduziu nesta terça-feira (07/07) uma cerimônia em homenagem às vítimas dos ataques terroristas que mataram 52 pessoas e feriram outras 700 no centro de Londres, há dez anos.

"Hoje o país se reúne para lembrar as vítimas de uma das atrocidades terroristas mais mortais no Reino Unido", disse Cameron antes da cerimônia no memorial 7/7, no Hyde Park de Londres. Parentes das vítimas, sobreviventes e políticos compareceram ao evento.

"Dez anos depois dos ataques de 7/7, a ameaça terrorista continua sendo tão real e mortal quanto antes. O

assassinato de 30 britânicos inocentes em férias na Tunísia

, no mês passado, faz lembrar esse fato. Mas nunca seremos intimidados pelo terrorismo", disse o premiê.

"Continuaremos fazendo tudo o que podemos para manter o povo britânico seguro, proteger mentes jovens e vulneráveis da crença extremista de outros e promover os valores compartilhados da tolerância, amor e respeito", declarou.

Nas primeiras horas do dia 7 de julho de 2005, quatro extremistas muçulmanos britânicos viajaram a Londres, onde detonaram bombas caseiras escondidas em mochilas em três metrôs e um ônibus durante a hora do rush matinal. Inspirados na Al-Qaeda, eles mataram a si mesmos e a outras 52 pessoas, incluindo cidadãos de Polônia, Israel, Austrália, França e Itália.

Cameron e o prefeito de Londres, Boris Johnson, depositaram coroas de flores no memorial do atentado. Um minuto de silêncio foi realizado em todo o país, apenas quatro dias depois de uma homenagem semelhante aos mortos num ataque terrorista numa praia de Sousse, na Tunísia. Das 38 vítimas, 30 eram britânicas.

LPF/rtr/dpa/afp

Leia mais