1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Novos incêndios em abrigos de refugiados na Alemanha

No estado alemão da Turíngia, dois centros de acolhimento de migrantes pegaram fogo neste fim de semana. Segundo a polícia, pelo menos um deles pode ter sido alvo de ataque criminoso.

default

Incêndio em Friemar foi "covarde e assassino" diz governador da Turíngia

Neste fim de semana, dois abrigos de refugiados voltaram a ser atingidos por incêndios na Alemanha. O primeiro deles aconteceu no sábado na cidade de Bischhagen, próxima a Heiligenstadt, no estado alemão da Turíngia.

O edifício se encontrava vazio, mas era destinado a servir de acomodação para solicitantes de asilo. A polícia não descarta uma falha técnica, mas também está investigando um possível incêndio criminoso.

Na manhã deste domingo (04/10), um segundo incêndio foi apagado em Friemar, perto da cidade de Gotha, também na Turíngia. O fogo começou em banheiros químicos adjacentes ao edifício, antes de se espalhar para o ginásio desportivo onde estavam abrigados dez requerentes de asilo. Eles escaparam ilesos e foram transferidos para outra instalação de acolhimento.

Consternado e chocado

O governador da Turíngia, Bodo Ramelow, afirmou estar consternado e chocado. No Twitter, ele classificou o incêndio em Friemar como um "ataque assassino covarde e um atentado terrorista contra nossa sociedade".

Ele acrescentou que a violência e a incitação xenófoba não serão toleradas na Turíngia. A polícia suspeita que o incêndio próximo a Gotha pode ter sido criminoso, mas não descartou a possibilidade de o fogo ter sido ocasionado por um cigarro aceso.

Nos últimos meses, a Alemanha tem vivenciado um série de protestos violentos e ataques contra centros de migrantes, principalmente nos estados da Saxônia, Saxônia-Anhalt, Hessen e Baixa Saxônia.

Muitas comunidades alemãs alertam que chegaram aos limites de suas possibilidades para proporcionar abrigo aos migrantes. O governo alemão espera um total de 800 mil pedidos de asilo no país em 2015, correspondente a mais do dobro da quantia registrada do ano anterior. No entanto, algumas autoridades não excluem a possibilidade de esse número chegar a um milhão de pessoas.

CA/epd/dpa/dw

Leia mais