Novo serviço diplomático europeu SEAE começa a tomar forma | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 27.04.2010
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Novo serviço diplomático europeu SEAE começa a tomar forma

Ministros de Relações Exteriores da UE traçam primeiras diretrizes para futuro Serviço Europeu de Ação Externa (SEAE). Além de francês e inglês, departamento representativo do bloco usará o alemão como idioma.

default

Catherine Ashton, alta representante da UE para assuntos externos

Os ministros de Relações Exteriores dos 27 países da União Europeia concordaram em dar andamento ao Serviço Europeu de Ação Externa (SEAE). O acordo foi firmado em Luxemburgo na segunda-feira (26/04).

Miguel Moratinos, da Espanha – país que detém a presidência rotativa da União Europeia – falou sobre um dia importante para a Europa. O francês Bernard Kouchner considera este um "passo gigantesco" para a UE.

O novo serviço diplomático irá representar os interesses da UE internacionalmente. Os Estados-membros concordaram que a nova delegação será formada levando-se em consideração aspectos geográficos e equilíbrio de gêneros.

Após várias horas de reuniões, os ministros definiram pontos importantes. Não se excluiu inteiramente a necessidade de aumentar do orçamento do UE. Ao mesmo tempo, no entanto, por pressão britânica, registrou-se o "esforço" para que SEAE tenha "neutralidade orçamentária". A preocupação com os custos também "terá um papel importante" nas decisões sobre a assistência consular aos cidadãos europeus. Londres expressou preocupação de que o departamento fique sobrecarregado.

Lado alemão

O ministro de Relações Exteriores Guido Westerwelle conseguiu impor que o idioma alemão seja empregado no novo departamento, lado a lado com o inglês e o francês. Cabe ainda definir se os conhecimentos do alemão serão uma exigência para a seleção de diplomatas.

No passado houve “muita escaramuça burocrática”, disse o ministro sueco Carl Bildt, lamentando uma “guerra das insignificâncias”. O alemão Westerwelle declarou compreender que haja interesses múltiplos. “A questão é encontrar um denominador comum para isso tudo, de forma que possamos realmente falar com uma só voz.”

Apoio

O acordo político deve ser aprovado formalmente em junho pelos chefes de Estado, na reunião de cúpula da UE em Bruxelas. O apoio do Parlamento Europeu e da Comissão Europeia é importante.

Segundo diplomatas, ainda há dúvidas se o departamento, sob comando da britânica Catherine Ashton, estará na ativa antes das férias do verão europeu. Porém o novo serviço não estará funcionando plenamente antes do último trimestre de 2011, anteciparam fontes ligadas à vice-presidente da Comissão Europeia.

O SEAE foi acordado no Tratado de Lisboa, e deverá empregar até 8 mil funcionários, em 130 diferentes países. A partir de 2013, os serviços diplomáticos dos Estados-membros fornecerão um terço da força de trabalho do novo departamento, cabendo o restante à Comissão e ao Conselho de Ministros.

Autor: Oliver Samson (NP)
Revisão: Augusto Valente

Leia mais