1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Novo método permite reconhecimento precoce do câncer

Cientistas de Heidelberg desenvolveram processo simples e rápido para detectar no soro sangüíneo mutações da proteína p-53, antecipando consideravelmente o diagnóstico de tumores.

default

É difícil detectar a proteína p-53 no sangue de um organismo sadio

Os pesquisadores Markus Sauer e Jürgen Wolfrum, do Instituto de Física e Química da Universidade de Heidelberg, desenvolveram um novo procedimento para detectar, com rapidez e diretamente no soro sangüíneo, a presença de auto-anticorpos p-53 — um progresso notável em relação às atuais possibilidades de diagnóstico.

O crescimento controlado das células e sua diferenciação é determinado por inúmeras proteínas, cuja estrutura e função está codificada em seus genes. Transformações nos genes do núcleo celular podem fazer com que uma célula "normal" se transforme em cancerígena. Isto é especialmente relevante no caso de danos na substância genética dos genes que "reprimem" o tumor, os chamados genes supressores.

As proteínas que contêm esses genes em seu código funcionam em circunstâncias normais como barreiras contra o crescimento celular incontrolado e a transmissão de informações genéticas defeituosas.

Cientistas detectaram em 60 a 80% de todos os tumores — independentemente de seu tipo e procedência — mutações na proteína p-53, um dos mais importantes supressores. Todas as mutações até agora descritas conduziram ao mesmo efeito: a perda da capacidade de reprimir a formação de tumores.

O método — Num organismo sadio, dificilmente se consegue detectar a proteína p-53 no soro sangüíneo, devido à rápida desintegração das moléculas. Se houve, porém, uma mutação, a meia-vida das moléculas sobe de 10 a 20 minutos para aproximadamente 48 horas. Em conseqüência, concentra-se muito mais proteína na célula do que em casos normais. A proteína "mutante" aciona, além disso, o sistema imunológico, fazendo com que muitos portadores de tumores reajam formando os chamados auto-anticorpos p-53.

Detectar essas moléculas no soro sangüíneo é de primordial importância para o reconhecimento da existência de um tumor. O procedimento desenvolvido pelos dois pesquisadores de Heidelberg, que tiveram o apoio financeiro da Fundação Volkswagen, distingue-se pela rapidez com que permite chegar a resultados — apenas alguns minutos—, bem como pelos baixos custos, "sendo muito apropriado tanto para a descoberta precoce como para o controle do tratamento de tumores", esclarece o cientista Sauer.