Novo livro de autora alemã Charlotte Roche promete sexo e tragédia | Cultura europeia, dos clássicos da arte a novas tendências | DW | 17.08.2011
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura

Novo livro de autora alemã Charlotte Roche promete sexo e tragédia

Depois do sucesso de "Zonas úmidas", autora alemã aborda trauma, sexo e vida familiar em "Schossgebete". Ainda sem tradução em português, obra começa a inundar as livrarias na Alemanha.

default

Nova obra de Charlotte Roche ganha destaque em livrarias alemãs

O novo livro da escritora alemã Charlotte Roche começa a ganhar espaço nas livrarias alemãs. Schossgebete (Orações de colo, em tradução livre) é o segundo título da autora, e promete ser um best-seller – só a Dussmann, por exemplo, uma das maiores livrarias de Berlim, encomendou mil exemplares com antecedência.

O novo trabalho de Roche tenta seguir o caminho do primeiro romance, Feuchtgebiete ("Zonas úmidas"), que vendeu aproximadamente dois milhões de exemplares e foi publicado no Brasil pela editora Objetiva. A primeira tiragem de Schossgebete foi de meio milhão de cópias, provavelmente a maior marca já alcançada por um autor da língua alemã.

Na trilha do sucesso repentino

Para Bianca Krömer, que trabalha há cinco anos na Dussmann berlinense e já acompanhou a saída de muitos best-sellers, o novo livro de Roche deve atender às expectativas da editora e das livrarias. Ela ressalta, no entanto, que não será fácil superar o sucesso anterior. "Zonas úmidas foi uma grande surpresa. Uma ex-apresentadora de televisão aparece, aborda todos os tabus e escreve sobre coisas de uma forma com que o leitor não está acostumado a ler com frequência", comenta Krömer.

A surpresa foi tão grande que alguns críticos questionaram se um livro sobre depilação íntima e hemorroidas poderia, de fato, ser considerado literatura. As descrições tão detalhadas também deixaram muitos leitores com a sensação de asco.

Trauma e trama

Schossgebete parece uma continuação do primeiro livro. A protagonista é uma mulher de 30 anos, casada, com dois filhos. Logo na primeira linha, os fãs de Zonas úmidas veem suas expectativas serem preenchidas: "Como sempre, nós ligamos a colcha térmica meia hora antes do sexo."

Seguem-se então 15 linhas de uma desagradável descrição precisa do ato sexual do casal. A autora deixa um pouco de lado os excessos do corpo para se concentrar na vida interior da protagonista e narradora, Elizabeth, que quer cada vez mais agradar a todos: seu marido, sua filha, sua terapeuta. Elizabeth se classifica como uma "terrorista de relacionamentos".

Charlotte Roche Buchmesse Feuchtgebiete

Autora mostra seu primeiro romance

O novo romance de Roche pode ser lido como um diário de terapia de uma mulher num abismo psiquiátrico. Um trauma ocupa o centro do romance, que até hoje também faz parte da vida de Charlotte Roche: três irmãos morreram num acidente de carro a caminho do casamento da escritora.

Até então, Roche ainda não havia falado publicamente sobre o assunto. E agora, ao que tudo parece, ela escreve sua própria história de vida a partir da alma. Assim como em Zonas úmidas, o leitor é levado a acreditar que a protagonista e autora são a mesma pessoa devido às descrições autênticas e à linguagem mais natural.

Escândalo

Depois do sucesso inesperado de Zonas úmidas, ninguém acreditava que a jovem e atraente escritora, de 33 anos, poderia lançar um romance seguinte. Isso a motivou mais, diz Roche numa entrevista publicada na revista Der Spiegel, apesar de ela mesma se considerar mais como uma impostora do que escritora.

Mesmo assim, o que não falta no novo livro é potencial para causar escândalo e atrair a atenção pública. E pelo menos nas livrarias alemãs as pilhas de Schossgebete já começam a ser notadas.

Autora: Nadine Wojcik (np)
Revisão: Carlos Albuquerque

Leia mais