1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Novo líder do Talibã prega união interna

Primeira mensagem de áudio do novo líder tem como objetivo acalmar os dissidentes e aplacar a divisão entre membros mais radicais e aqueles que defendem as conversações para o fim da guerra.

O novo líder do Talibã no Afeganistão, mulá Akthar Mansour, pediu aos seus combatentes que permaneçam unidos e sigam o caminho de seu antecessor, o mulá Mohammad Omar.

"Nossa união vai derrotar nossos inimigos", afirma numa mensagem de áudio divulgada neste sábado (01/08). Esta é a primeira declaração dele desde que foi escolhido novo líder da organização extremista, na quinta-feira, um dia após o

governo do Afeganistão confirmar a morte de Omar

, que teria acontecido há dois anos.

A gravação foi enviada à imprensa via e-mail por um porta-voz do Talibã, após a deserção de combatentes do grupo em favor da organização jihadista

"Estado Islâmico" (EI)

.

Mansour pediu que seus seguidores prossigam com a insurgência no Afeganistão, que já dura 14 anos. "É da nossa responsabilidade continuar com a guerra santa até estabelecermos um Estado islâmico em nosso país", diz a declaração.

O novo líder do Talibã é considerado próximo do Paquistão, que muitos acreditam ter apoiado os insurgentes durante a guerra. Ele é visto também como um apoiador do processo de paz iniciado pelo presidente afegão, Ashraf Ghani, e que é patrocinado pelo Paquistão.

Divisões internas

Autoridades afegãs informaram que as conversações de paz entre o governo em Cabul e o Talibã foram adiadas por tempo indeterminado, a pedido da organização jihadista, que apresenta sinais de divisão interna.

Um dos filhos do mulá Omar teria se oposto à escolha de Mansour em votação realizada no Paquistão, alegando que apenas um pequeno grupo de apoiadores do novo líder teria participado, e exigiu uma nova eleição, que inclua todos os comandantes talibãs.

A mensagem divulgada neste sábado aparenta ter como objetivo acalmar os dissidentes e aplacar a divisão entre os membros mais radicais e aqueles que defendem as conversações para o fim da guerra. Na gravação, Mansour pede paciência e confiança nas decisões da liderança talibã.

"Devemos prosseguir com a guerra santa sem suspeitar uns dos outros", diz a gravação. "Tudo o que vier a ocorrer deverá ser conforme à lei da shária, seja a guerra santa, seja as conversações."

RC/dpa/ap

Leia mais