1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Novo capitão no leme da social-democracia

Gerhard Schröder abriu mão da presidência do partido. E será sucedido no cargo pelo líder da bancada do SPD. Um perfil de Franz Müntefering.

default

Franz Müntefering: bom contato com as bases

O tema central da convenção extraordinária do Partido Social Democrático (SPD), neste domingo (21), é a eleição de seu novo presidente. É ponto pacífico que a escolha recairá sobre Franz Müntefering, atual líder da bancada do partido no Bundestag (Parlamento federal).

Cabe preencher a lacuna deixada pela renúncia do chanceler federal, Gerhard Schröder, ao cargo, em 6 de fevereiro de 2004. A popularidade do chefe de governo atingira o ponto mais baixo desde sua subida ao poder, em 1988. As reformas dos sistemas de aposentadoria e saúde, por ele iniciadas, desagradaram a população e levaram a ala esquerda do SPD a rebelar-se contra o curso neo-liberal de Schröder.

Mas quem é esse político de 64 anos, sempre enérgico em seus discursos? Filho de um operário, Müntefering trabalhou em indústrias até 1975. Filiado ao SPD desde 1966, a essa altura já havia feito nome no partido. Pelo menos na política regional de Sauerland, uma parte do estado da Renânia do Norte-Vestfália caracterizada por bosques e plantações.

Tornou-se deputado em 1975, conquistando projeção crescente dentro do SPD. Em 1992, foi nomeado secretário do Trabalho e Assuntos Sociais da Renânia do Norte-Vestfália. Contudo não ficaria muito tempo no nível estadual: três anos mais tarde retornava ao Bundestag, desta vez como secretário-geral do SPD.

Como coordenador da campanha eleitoral em 1998, Müntefering foi grande responsável pela vitória de seu partido no Parlamento federal. O SPD finalmente conseguiu formar o governo, juntamente com o Partido Verde, pondo fim aos 16 anos do chanceler Helmut Kohl no poder. Durante um ano atuou como ministro dos Transportes e Construção Civil, abandonando o cargo em 1999 para voltar a assumir o de secretário-geral do partido.

O "modernissauro"

Coesão e disciplina é o que que Franz Müntefering sempre exigiu dos social-democratas. Sua capacidade de integração e proximidade às bases asseguraram altas quotas de aprovação durante as convenções do SPD. Essa tendência se confirmou, quando da candidatura para a liderança da bancada social-democrata no Bundestag, após as eleições de 2002: Müntefering venceu por mais de 90% dos votos.

O chefe de bancada sempre manteve sua lealdade para com o premier e então presidente do partido, Gerhard Schröder. Esta se confirmou tanto em questões de concordância total – como a resistência da Alemanha contra a guerra no Iraque –, quanto no tocante às reformas sociais, assunto sobre o qual Müntefering guardava de início sérias restrições.

A tarefa de substituir Gerhard Schröder não será fácil. O que se espera do novo líder não poderia ser mais paradoxal: reconciliar as alas do SPD, fazer reformas e, de quebra, salvar o partido. Para realizar todas essas tarefas, possivelmente só mesmo alguém tão sólido e flexível como Müntefering, definido pela imprensa alemã como "modernissauro": "Mudar de opinião pode ser oportunismo. Mas não tem que ser", observou em certa ocasião.

Leia mais