1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Novatos da UE ainda têm lições de casa a fazer

Existem diferenças nos progressos de cada um, mas os novos países membros conseguiram adaptar em grande parte sua legislação aos padrões da União Européia. O problema agora é implementar as novas diretrizes.

default

Formar um aparato administrativo eficiente é o maior desafio que os novos membros da União Européia têm pela frente, na opinião de deputados do Parlamento Europeu. Muitos governos deixaram de tomar providências neste sentido a tempo, afirmou à DW-WORLD Elisabeth Schroedter, deputada alemã do Parlamento Europeu pelo Partido Verde. O resultado é que jovens com boa qualificação preferiram buscar empregos na economia privada a atividades mal remuneradas no setor público.

A esperança de seu colega democrata-cristão Elmar Brok é que as próprias circunstâncias levem esses países a apressar os procedimentos. "Quanto melhor a administração, quanto melhores os tribunais, mais fácil é obter investimentos estrangeiros", declarou à DW-WORLD. "Eles sabem que, se não forem rápidos, vão perder dinheiro."

Confira os pontos fortes e os fracos de cada novo país membro:

Chipre

Galerie EU Erweiterung Zypern Hafen in Paphos

Porto de Paphos no Chipre

Destaques: Impostos baixos e um setor de serviços bem desenvolvido garantem a prosperidade da parte grega da ilha. A adaptação das leis aos padrões da UE já está quase completa.

Desafios: A divisão da ilha continua sendo maior fonte de preocupação: linha divisória será ao mesmo tempo fronteira externa da UE, podendo facilitar entrada ilegal de pessoas e mercadorias. Falta instalar uma agência para gerenciar os subsídios agrícolas da UE. Segurança marítima precisa ser incrementada.

Eslováquia

Destaques: Sistema tributário simplificado, com alíquota única de 19%. Alto nível de formação e salários baixos tornam o país atraente para investimentos estrangeiros.

Desafios: Corrupção é amplamente difundida. Adaptação da Justiça ao padrão europeu deve demorar ainda alguns anos. Falta instalar uma agência para gerenciar os subsídios agrícolas da UE. Condições de vida dos romanis (ciganos, 9% da população) - alta taxa de desemprego, isolamento - precisam ser melhoradas.

Eslovênia

Destaques: Considerada país modelo entre os novatos, fez grandes progressos econômicos e implementou todas as leis da UE. Dos cinco critérios de Maastricht para a adoção do euro, o país já conseguiu preencher dois, tendo sob controle a dívida pública e o déficit orçamentário

Desafios: Corrupção é amplamente difundida. Demora na privatização do setor bancário. Inflação não está sob controle.

Estônia

EU Erweiterung Litauen Altstadt von Vilnius

Vilnius, capital da Lituânia

Destaques: Inflação relativamente baixa. Bom clima para investimentos estrangeiros. Mão-de-obra jovem e com boa formação.

Desafios: Cerca de 10% da população (russos que vivem há muito no país) não possui a cidadania. Déficits na equiparação dos direitos das mulheres aos dos homens. Setor de eletricidade e gás precisa ser liberalizado até 2008. Grandes diferenças no desenvolvimento de regiões urbanas e rurais.

Hungria

Destaques: País apostou como nenhum outro na privatização por meio de investimentos estrangeiros. Atraente graças a uma boa infra-estrutura, ao alto nível da qualificação profissional e à legislação liberal.

Desafios: É preciso incrementar medidas contra discriminação dos romanis e intensificar o combate à corrupção e ao crime organizado. Falta instalar uma agência para gerenciar os subsídios agrícolas da UE. Déficit orçamentário alto é motivo de preocupação.

Letônia

Destaques: Mais importante eixo de ligação entre a Rússia e a Europa Ocidental. Portos bem equipados para o transporte de petróleo russo para os países ocidentais.

Desafios: Nível de corrupção é altíssimo. Prisões estão superlotadas. Déficits na integração de minorias étnicas. Falta instalar uma agência para gerenciar subsídios agrícolas da UE.

Lituânia

EU Erweiterung Tschechien Stadt Panorama von Prag

Praga, capital da República Tcheca

Destaques: Grandes progressos econômicos e inflação baixa. Maioria das leis da UE foi implementada. Avanços na integração de minorias étnicas.

Desafios: Alta taxa de desemprego (12,7%). É preciso intensificar o combate ao tráfico humano e ao crime organizado. Setor de transportes e de serviços em parte ainda não privatizados.

Malta

Destaques: Legislação adaptada ao padrão da UE. Baixo nível de desemprego graças à boa qualificação da mão-de-obra. Economia estável e longa tradição como centro de comércio.

Desafios: Ceticismo da população em relação à UE (apenas 52% votaram com sim no plebiscito). Alto nível de poluição ambiental em conseqüência do trânsito intenso. Falta implementar diretrizes sobre aves selvagens (caça ilegal continua problemática).

Polônia

Destaques: Uma das economias que mais crescem na Europa. Finanças públicas passaram por reformas significativas. Bom índice de exportação da indústria manufatureira.

Desafios: Corrupção amplamente difundida. Índice muito alto de desemprego (19,3%). Necessidade de aumentar segurança para investidores estrangeiros. Falta implementar a legislação da UE sobre segurança de alimentos, proteção aos animais e meio ambiente.

República Tcheca

Galerie EU Erweiterung Estland Tallinn Schwarzhäupterhaus

Tallin, capital da Estônia

Destaques: Mão-de-obra altamente qualificada. Inflação baixa. Comércio exterior direcionado em grande parte para a Europa Ocidental (70% das exportações vão para a UE). Legislação da UE já foi praticamente implementada.

Desafios: Tráfico humano, em especial de menores, na fronteira com a Alemanha. Processamento de alimentos não corresponde ainda aos padrões da UE. Combate à corrupção e à lavagem de dinheiro precisa ser intensificado.

Leia mais