1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Novas pesquisas sobre efeitos dos celulares para saúde de usuários

Um novo estudo sobre os efeitos dos celulares na saúde humana será financiado pelo governo britânico com uma verba de 11,2 milhões de euros.

default

Estudo desaconselhou o uso de celulares por crianças

Alguns cientistas continuam a advertir contra a utilização destes equipamentos, sublinhando que mesmo que estes não contribuam para o desenvolvimento de doenças graves como o câncer, podem provocar dores de cabeça e zumbidos nos ouvidos. A comunidade científica também não está de acordo quanto às conseqüências da utilização de fones de ouvido. Em agosto de 2000, o governo britânico tinha aconselhado o seu uso, afirmando que tais dispositivos reduzem consideravelmente o nível das radiações. No entanto, a associação britânica de consumidores publicou dois estudos, sugerindo que o uso dos fones de ouvido podem expor o cérebro a três vezes e meia mais radiações do que na utilização direta dos celulares.

Informações insuficientes – A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirma não existir informação suficiente que permita determinar se os celulares ou as antenas difusoras de sinal têm conseqüências negativas para a saúde. "Nenhuma pesquisa recente demonstrou que a exposição aos campos de freqüência dos celulares ou das suas estações base cause algum efeito adverso à saúde", afirma um comunicado da OMS. No entanto, a Agência Internacional para a Investigação do Câncer, ligada à própria OMS, citou em junho de 2001 os campos magnéticos de baixa freqüência (entre 50 e 60 hertz) como possível causa de câncer.

Por outro lado, um estudo do centro francês de pesquisas Tecnolab sugere que a exposição a campos eletromagnéticos gerados por televisões ou celulares, por exemplo, poderia causar alterações biológicas sutis, não havendo prova, contudo, de que isto provoque qualquer doença. Os pesquisadores admitem a possibilidade de estes campos de radiação poderem afetar determinados indivíduos em conseqüência da sua predisposição genética ou de condições ambientais específicas.