1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Neofascista representa Itália nas reformas da UE

Ministros de Relações Exteriores da União Européia acabam aceitando o neofascista Gianfranco Fini como representante do governo de Roma na Convenção de Reformas, o grêmio que planejará a remodelação estrutural da UE.

default

O neofascista Gianfranco Fini será representante do governo de Roma na Convenção de Reformas

Os governos dos países membros da União Européia não pretendem mais bloquear a participação do neofascista Gianfranco Fini na Convenção de Reformas da instituição, como representante da Itália. Isto ficou claro durante a reunião do Conselho de Ministros de Relações Exteriores, nesta segunda-feira (28), em Bruxelas.

Com isto, o governo de Roma poderá ter um segundo representante no grêmio, ao lado do vice-presidente da Convenção, Giuliano Amato. Na semana passada, os governos da Alemanha, da Suécia e da Holanda tinham manifestado estranheza pela nomeação de um segundo representante italiano, uma vez que na conferência de cúpula da UE em dezembro ficara acertado que somente o país do presidente da Convenção é que poderia enviar um segundo representante. Contudo, o político esquerdista Amato recusou-se a assumir o papel de representante do governo de Sílvio Berlusconi no grêmio responsável pelo planejamento da reforma estrutural da União Européia. Ele ameaçara renunciar ao cargo de vice-presidente, caso tivesse de falar em nome do governo de Roma.

O último país a abrir mão do veto ao nome de Gianfranco Fini foi a Alemanha. A decisão foi justificada por fontes ligadas ao Ministério alemão das Relações Exteriores com a frase: "É preferível Amato e Fini na Convenção, do que Fini sozinho." O chefe do governo italiano Silvio Berlusconi participou pessoalmente da reunião dos ministros de Relações Exteriores em Bruxelas, nesta segunda-feira: ele acumula o cargo desde a renúncia de Renato Ruggiero.