1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Negociações sobre acordo nuclear iraniano terminam sem avanços

Após seis dias de conversas sobre acordo nuclear iraniano, divergências entre potências do G5+1 e Irã ainda persistem. John Kerry, porém, está otimista e afirma que encontro termina com progresso "substancial".

Depois de uma semana de negociações com o Irã, o secretário de Estado americano, John Kerry, afirmou neste sábado (21/03) que as conversas sobre o programa nuclear iraniano tiveram um "progresso substancial", mas ainda restam "lacunas".

"Agora é hora de tomar decisões duras", afirmou Kerry em Lausanne, na Suíça. Ele reforçou que as potências do G5+1 (EUA, China, Alemanha, França, Rússia e Reino Unido) não têm divergências sobre o acordo com Teerã.

"Nós estamos unidos. Os Estados Unidos não estão com pressa para chegar a um acordo com o Irã", disse o político democrata.

Nos últimos dias, surgiram rumores de divergências entre as potências em relação ao acordo. A França teria insistido num período de restrições mais longo para o uso nuclear por Teerã, e também se oposto à suspensão de algumas sanções da ONU, logo após a assinatura do documento.

Após seis dias interruptos de negociações entre Washington e Teerã em Lausanne, impasses sobre pesquisa nuclear e o fim das sanções levaram a rodada a terminar na sexta-feira sem avanços.

Apesar de as partes ainda terem alcançado um acordo, Kerry foi otimista, no entanto, ao afirmar que não foram cometidos erros e que há chance de fazer tudo corretamente.

"Nada que não possa ser resolvido"

O presidente do Irã, Hassan Rohani, também se mostrou otimista, após o fim de mais uma rodada de negociações sem resultado. "Acredito que um acordo seja possível. Não há nada que não possa ser resolvido", declarou à agência de notícias estatal Irna.

"Nesta rodada, houve diferenças sobre algumas questões, mas surgiram pontos de vista comuns que podem ser a base de um acordo final", disse Rohani, ressalvando que alguns pontos de divergência ainda persistem.

Juntamente com as seis potências do G5+1, Teerã pretende chegar a um acordo sobre o controverso programa nuclear iraniano até o fim deste mês. O grupo volta a se reunir na próxima quinta-feira.

O acordo deve estipular que o Irã só poderá enriquecer urânio como reator combustível sob controle internacional. Em troca, sanções econômicas impostas há anos à república islâmica serão suspensas. A expectativa é que o documento seja assinado no final de junho, apesar da oposição de Israel e da Arábia Saudita, rivais regionais de Teerã.

CN/rtr/afp/lusa

Leia mais