1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Negociações e protestos ao ritmo de samba e valsa

Viena sedia maior evento político desde 1815. Cúpula e contracúpula UE-América Latina reúnem milhares de pessoas de 60 países na capital austríaca. Presidentes da Venezuela e Bolívia "dançam em dois bailes".

default

Evo Morales participa tanto da cúpula oficial quanto de protestos em Viena

Tango argentino, música andina e samba brasileiro misturam-se à valsa austríaca durante a cúpula oficial UE-América Latina e Caribe (Eulac) e o encontro não-governamental Enlaçando Alternativas – dois eventos que reúnem milhares de representantes de 60 países em Viena, até sábado (13/05).

Durante os três dias da Eulac (11 a 13/05), a capital austríaca é palco do maior evento político realizado na cidade desde o histórico Congresso de Viena (1814–1815), no qual foi traçado o destino da Europa após as guerras napoleônicas.

Sessenta chefes de Estado e governo, acompanhados por cerca de 1500 delegados nacionais e 1500 jornalistas de todo o mundo são esperados na quarta e maior reunião transatlântica do gênero.

Encontro de Lula com Merkel

Frank Walter Steinmeier in Brasilien bei Lula

Steinmeier acertou em Brasília pauta do primeiro encontro de Lula com Merkel

O Ministério austríaco do Exterior confirmou a presença, entre outros, do presidente Luiz Inácio Lula da Silva; Vicente Fox (México), Néstor Kirchner (Argentina), Michelle Bachelet (Chile), Hugo Chávez (Venezuela) e Evo Morales (Bolívia). Na sexta-feira (12/05), Lula terá um encontro com a chanceler federal alemã, Angela Merkel.

O secretário-geral das Nações Unidas, Kofi Annan, também participará da cúpula de Viena, uma das cidades-sede das agências da ONU. O governo austríaco, que exerce a presidência rotativa da UE, mobilizou 2500 funcionários – além de 1500 policiais – para garantir a realização e a segurança dos encontros oficiais.

A cúpula será iniciada na quinta-feira (11/05), com uma reunião de trabalho dos ministros do Exterior. O encontro dos chefes de Estado e de governo acontecerá na sexta-feira. O sábado (13/05) está reservado para cúpulas regionais, com encontros entre o trio europeu (Áustria, Finlândia e Comissão Européia) e os países-membros do Mercosul, Comunidade Andina de Nações (CAN), América Central e Caribe, México e Chile, respectivamente.

Paralelamente à cúpula, será realizado o primeiro Fórum Empresarial da UE, América Latina e Caribe. Neste encontro, o Brasil pretende conquistar o interesse europeu para os motores flex e a importação de etanol de cana-de-açúcar.

Entre os participantes do fórum está o comissário da Indústria da UE, o alemão Gunther Verheugen, a comissária de Relações Exteriores do bloco, Benita Ferrero-Waldner, e o presidente do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Luis Alberto Moreno.

Chávez e Morales na contracúpula

Hugo Chavez

Hugo Chávez, líder do neopopulismo latino-americano

Nesta quarta-feira (10/05), começou em Viena uma "contracúpula" chamada Enlaçando Alternativas 2 (EA2), na qual representantes de ONGs, sindicatos, igrejas e organizações adversárias da globalização propõem alternativas ao neoliberalismo praticado na América Latina.

A manifestação de encerramento da EA2, no sábado (13/05), prevê a participação dos presidentes Hugo Chávez (Venezuela) e Evo Morales (Bolívia). Na contracúpula haverá também protestos contra empresas transnacionais que operam na América Latina.

Diversas instituições públicas e privadas organizaram ainda o festival Onda Latina para difundir a cultura ibero-americana e que conta com mais de 200 apresentações musicais, leituras, workshops artísticos e discussões políticas.

Leia mais