1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Navio chinês detecta possível sinal de caixas-pretas de avião desaparecido

Sinais rastreados são de frequência padrão de caixas-pretas de aeronaves e foram identificados no sul do Oceano Índico, diz agência Xinhua. Autoridades ainda não confirmaram se indícios são de Boeing desaparecido.

Um navio chinês que participa das buscas do voo MH370 da Malaysia Airlines detectou neste sábado (05/04) sinais no sul do Oceano Índico que podem ser das caixas-pretas da aeronave, segundo a agência de notícias chinesa Xinhua.

Mesmo com a notícia positiva, ainda não está confirmado se o indício identificado está relacionado com o Boeing 777-200 que desapareceu no dia 08 de março durante a rota Kuala Lampur-Pequim com 239 pessoas a bordo.

O sinal de 37,5 kHz por segundo, detectado pelo navio Haixun 01, é geralmente a frequência padrão emitida pelas caixas-pretas dos aviões comerciais. O detector usado pela embarcação identificou o rastro a cerca de 25 graus de latitude sul e 101 graus de longitude oeste.

O chefe da aviação civil da Malásia, Azharuddin Abdul Rahman, disse em uma mensagem de texto que as autoridades ainda estão "checando a informação". A agência do governo australiano que está coordenando a busca pelo avião não comentou sobre o possível sinal das caixas-pretas do avião desaparecido.

John Goglia, um ex-membro do Conselho Nacional de Segurança dos Transportes dos EUA (NTSB, em inglês), afirmou que a notícia é "interessante", mas advertiu que "há uma quantidade enorme de ruído no oceano".

Corrida contra o tempo

Aviões comerciais costumam ser equipados com duas caixas-pretas, que na verdade têm cor alaranjada: uma registra os dados do voo, como velocidade e altitude; e outra grava os últimos 30 minutos de conversa da cabine – a gravação pode chegar a duas horas em caso de sistema digitais.

A frota internacional que procura os destroços do Boeing 777-200 da Malaysia Airlines começou na sexta-feira (04/04) as buscas submarinas na tentativa de encontrar as caixas-pretas da aeronave. A corrida é contra o tempo, já que as baterias dos aparelhos costumam se esgotar e deixar de emitir sinais depois de trinta dias.

As buscas se concentram num corredor de 240 quilômetros quadrados a noroeste de Perth, na Austrália. O voo MH370 da Malaysia Airlines partiu de Kuala Lumpur na madrugada de 8 de março, com previsão de chegar a Pequim em seis horas, mas desapareceu dos radares aproximadamente uma hora após a decolagem. Das 239 pessoas a bordo, cerca de dois terços são chineses.

FC/rtr/ap/lusa

Leia mais