NAUFRÁGIO DO NAVIO DE CRUZEIRO COSTA CONCÓRDIA NA ITÁLIA | Escreva sua opinião, comentários, críticas ou sugestões | DW | 21.01.2012
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Sua Opinião

NAUFRÁGIO DO NAVIO DE CRUZEIRO COSTA CONCÓRDIA NA ITÁLIA

O naufrágio do Costa Concórdia, o comportamento do capitão Francesco Schettino, os ingleses e as Ilhas Malvinas, e as lâmpadas econômicas foram os temas comentados esta semana por nossos leitores.

O naufrágio de um navio faria você desistir de um cruzeiro? Não. Os navios e os iates modernos possuem sensores como radar, sonar e ecobatímetro, que auxiliam ativamente na navegação. O ocorrido foi um caso particular. Continuarei a fazer normalmente minhas viagens de cruzeiro.
Marleusa Gonçalves

Impressionante, é a primeira palavra que me ocorre ao saber e ver estas imagens. A história se repete ao lembrarmos o Titanic e quem fica para contar é que dá a imagem o mais real possível dos acontecimentos. Tudo indica tratar-se de erro humano, porque os meios modernos de navegação, em princípio, evitariam este triste episódio náutico – trágico. Parabéns às equipas de salvamento e a todos aqueles que correram em socorro aos infortunados. Que sirva de lição para que no futuro ou mesmo presente, se evite ao máximo estes acidentes.
Carlos Winq

LEI NÃO OBRIGA CAPITÃO A FICAR NO NAVIO, DIZEM ESPECIALISTAS

A meu ver, se não há legislação vigendo eficazmente que obrigue o comandante da embarcação que soçobra a manter-se na mesma, ou ser o último a abandoná-la, há, obviamente, um imperativo maior que exige tal comportamento de referida maior autoridade da embarcação, o qual seja respeitar integralmente os aspectos éticos que envolvem a situação descrita. A afirmação constante abaixo da foto "Costa Concordia: capitão teve conduta incomum, mas não ilegal", em que pese ser verdadeira sob a ótica legal, certamente não o é sob a égide da ética.
Carlos Alberto de Melo

Não existe nenhuma lei que obrigue ninguém a ter caráter, mas o senso comum reza que as pessoas devem ter um mínimo de caráter. Mas o "pobre" capitão, que nem esse mínimo tinha, resolveu salvar primeiro a própria pele. Memorável…
Tânia Souza

É fato conhecido que o capitão deve ser o último a abandonar o navio em caso de acidente! E desde quando se precisa de lei para isso? Convenhamos…
Paulo Cavalcante

BRASIL E REINO UNIDO REITERAM POSIÇÕES DIVERGENTES SOBRE AS MALVINAS

Por que não fazer um plebiscito com o povo brasileiro a respeito do tema, porque eu não fiquei sabendo de nenhuma posição sobre o tema.
Vanderlei

Os ingleses querem forjar uma nova política nas relações com o Brasil... quem diria...sabemos como forjaram durante o império de D. Pedro 1º e 2º. Quanto a autodeterminação, que tal darem aos moradores das Malvinas, por escrito, o direito de serem nação independente e contratarem a Petrobras para garantir o petróleo para si mesmos sem darem uma gota à rainha ou às petrolíferas britânicas?
Renato Bohn

MERCÚRIO TORNA LÂMPADAS ECONÔMICAS PRODUTO CONTROVERSO

De fato, a iluminação fluorescente apresenta diversos entraves. A questão tóxica é antiga e cada vez mais preocupante devido à crescente oferta de modelos compactos (reator integrado). Questões técnicas, como reativos, são mais um dos episódios que certamente irão gerar calorosos debates... Mas afirmo: ainda conviveremos por bom tempo utilizando iluminação fluorescente e iluminação LED simultaneamente. Uma proposta inovadora e que já está sendo trabalhada é o projeto Iluminação Reciclada, criado pela empresa Radak Sul. Trabalho que procura "desatar" dois dos principais "nós" desta realidade. O resíduo de uma fluorescente pode ser matéria-prima de LED.
Fernando Kiszewski

Leia mais