Naufrágio de navio no Reno não deverá causar danos ambientais | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 13.01.2011
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Naufrágio de navio no Reno não deverá causar danos ambientais

O acidente ocorreu no rio Reno, nas proximidades da Loreley, entre as cidades de Koblenz e Mainz. Navio levava 2,4 mil toneladas de ácido sulfúrico. Dois tripulantes da embarcação continuam desaparecidos.

default

O navio Waldhof afundou entre Koblenz e Mainz

O navio-cisterna Waldhof, que transportava 2,4 mil toneladas de ácido sulfúrico, naufragou na madrugada desta quinta-feira (13/01) próximo a Bingen, numa região turística onde o rio Reno faz uma curva em volta ao rochedo da Loreley. As causas do acidente ainda são desconhecidas, mas especialistas em navegação fluvial irão investigar se as curvas do rio e a forte correnteza influenciaram o incidente.

"A embarcação navegava com normalidade, mas de repente desapareceu dos radares", afirmou Jörg Hitzelberger do departamento de polícia fluvial em Mainz.

O navio partiu com a carga química de Ludwigshafen em direção à Antuérpia, na Bélgica. As autoridades de Meio Ambiente do estado da Renânia-Palatinado desmentiram informações divulgadas inicialmente de que parte da carga havia vazado para o rio.

Os peritos ambientais afirmam que, mesmo com o vazamento de parte da carga, os danos ambientais não seriam grandes, pois o ácido poderia se diluir rapidamente nas águas do Reno.

Quatro tripulantes estavam a bordo no momento do acidente. Dois deles foram resgatados, mas a chance de encontrar os outros dois com vida é mínima, devido à baixa temperatura da água (4ºC na manhã desta quinta-feira).

O tráfego fluvial neste trecho do Reno foi suspenso pelas autoridades alemãs, que enviaram helicópteros com câmeras infravermelhas para ajudar nas buscas. O navio de 115 metros de comprimento foi fixado por outras embarcações, mas seu resgate deverá durar semanas.

DF/lusa/afp/dpa
Revisão: Roselaine Wandscheer

Leia mais