NATAL - O FENÔMENO DO PRESENTEAR E SER PRESENTEADO | Escreva sua opinião, comentários, críticas ou sugestões | DW | 26.12.2009
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Sua Opinião

NATAL - O FENÔMENO DO PRESENTEAR E SER PRESENTEADO

Nesta semana nossos usuários comentaram principalmente sobre o tema Natal e a polêmica sobre a comercialização da festa natalina. Vale a pena ler!

default

"Por que damos presentes de Natal?" Em poucas palavras, o artigo poderia também dizer: damos presentes de Natal porque vivemos em um sistema cultural-econômico que preconiza o consumo de produtos industrializados, de maneira que "no frio climático", as vendas "esquentem" os bolsos dos que vivem dele, o consumo. Ou seja, damos e recebemos presentes porque é economicamente necessário e culturalmente adequado.
Isaque

Ao presentear as crianças, estamos exercendo um ato de amor, de alegria, de praticar algo eufórico aos humanos em geral. Estamos, talvez, sendo egocêntricos, pois, o fato de contemplar emoções estampadas nas faces, nos olhares das crianças, nos faz também sermos tomados de uma alegria eufórica. Imaginar pessoas alegres nos faz sentir melhor como seres humanos. Presentear é ato soberano e altruísta.
Harry Higa

Nada contra a análise sociológica, porém o fato de presentear no Natal diz respeito ao gesto que os Reis Magos presentearam o Menino Jesus quando o encontraram em Belém da Judeia.

Também vale ressaltar que o Papai Noel na realidade era um bispo católico da Europa, no momento não lembro precisamente a região, que na noite de Natal levava presentes para as crianças carentes da periferia; ou seja, a época natalina, quer queira ou não, é uma época de tradições milenares que resiste até os nossos dias, ainda bem!
Nubia B. Figueira

Acho que é uma forma dos ignorantes, chantagistas, hipócritas e cínicos, de dar dinheiro aos comerciantes! Se é o aniversário de Jesus, por que razão vão dar prendas à família, vizinhos, colegas? Deem prendas a quem faz aniversário.
Paulo Carvalho

Em minha opinião, Natal é todo dia, assim sendo, devemos nos presentear sempre que acharmos viável e não deixar só para o período de Natal. Lógico que o aniversariante não recebe nenhum presente e, se recebe, é de alguns, porque o presente maior que o Menino Jesus deseja é que todos se amem e que os menos favorecidos tenham vez e voz.
Maria das Graças Melo

É uma pena que hoje o Natal seja visto como delírio consumista, os valores distorceram muito. Gosto de ver o Natal como uma época de paz, quando as pessoas estão mais sensíveis a olhar para o próximo. Religiosamente, falando em presentes, o maior presente do mundo Deus nos deu no Natal, o Filho Dele para nos salvar, quer melhor?
Dani

O verdadeiro sentido do Natal é a comemoração do nascimento de Jesus. Quando Ele nasceu, recebeu presentes dos três Reis Magos. O que acontece é que neste mundo em que vivemos as pessoas se esquecem de que o filho de Deus já esteve entre nós.

O sistema capitalista inventou a figura do Papai Noel, que ofusca o verdadeiro sentido do Natal, que é o aniversário de Jesus e a ideia do velhinho barbudo de vermelho copia o ritual dos três Reis Magos, só que para o sentido inverso, e promovem o comércio com isso.
Odair Zanelato

Um presente no Natal é bom ou ruim, depende da intenção de quem presenteia e da interpretação de quem o recebe.
Valdenira Silveira

Com ou sem Papai Noel, creio que a festa seria a mesma, ficamos menos egoístas nesta época, ao comprarmos algo para presentear alguém. E se o Papai Noel nos compele às compras, que seja bem-vinda sua presença entre nós nesta época, e que para mim é a mais linda do ano todo, e porque ficamos mais solidários e felizes também.
Maria Aparecida Neubaner

Natal para mim é necessariamente um momento diferente daquele que temos durante o ano todo. É um dia especialíssimo para que façamos uma reflexão não só dos nossos problemas que afligem seguramente grande parcela da população. Resumindo, Natal é reconciliar-se consigo mesmo. Com saúde e fraternidade, já é um grande Natal.
Clecio Paulo Pretto

Leia mais