Natal na Alemanha 2008: entre pobreza e sonhos infantis | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 20.12.2008
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Natal na Alemanha 2008: entre pobreza e sonhos infantis

Para muitos o "Primeiro Mundo" já não é tão primeiro assim. Isto fica mais evidente quando se é criança, e é Natal, mesmo na Alemanha. E a pior pobreza é a carência de chances no futuro.

default

Formação pode ser melhor presente para uma criança, diz autora

"Eu quero uma pista de autorama", revela Baris, de cinco anos. "E eu, uma casa cor-de-rosa da Barbie", exclama a irmã Aylin, um ano mais velha. E ressalva: "Mas não sei se vou ganhar".

De crise em crise, a Alemanha está um pouco menos "Primeiro Mundo" do que antes. Um fato que não poupa nem os sonhos infantis, nem mesmo no Natal, grande festa da cristandade – e do consumo.

Sacrifícios e árvore de Natal

Kinderwünsche aus Neukölln

Família Ahrens de Neukölln

Juntamente com a mãe, Nicole Ahrens, e os irmãozinhos Rafel e Onur, de dois e um ano de idade, as crianças moram em Neukölln, um dos bairros menos favorecidos de Berlim. Nicole cria os quatro sozinha, já que os dois diferentes pais não dão qualquer ajuda. "Economizo em mim mesma. Raramente compro uma calça, Todo o dinheiro que tenho vai para as crianças."

A alemã de 32 anos deixou de trabalhar, desde o nascimento de Aylin. Manter os cinco, apenas com o salário desemprego (Hartz IV) e o salário-família, não é sempre fácil, sobretudo para as próprias crianças. "Mas elas entendem. Quando Aylin quer uma camiseta nova, por exemplo, e é caro demais, eu digo, e ela aceita."

Apesar de tudo, Nicole dá grande valor a uma árvore natalina. "Gosto de festejar o Natal tradicional e um grande pinheiro faz parte, mesmo que custe 50 ou 60 euros. Para isso, economizo." Também para os outros presentes, ela reserva o dinheiro ao longo do ano.

Felizmente, não está completamente sozinha, graças ao Projeto Känguru, do Serviço Diacônico da Igreja Luterana, cujo fim é auxiliar as mães de crianças pequenas. No último ano, uma voluntária a tem ajudado durante duas ou três horas, uma vez por semana, sobretudo com o caçula, Onur. "Mas às vezes também brinco com as outras crianças, para que a mãe possa pendurar a roupa, ou simplesmente tomar um banho em paz", conta Hannelore Gascho, de 60 anos.

"Uma bola de futebol não é muito"

Apenas alguns metros ao norte de onde mora a jovem família, em direção ao metrô Hermannplatz, cartazes coloridos desconcertam os transeuntes: "Eu queria uma escavadeira, talvez duas, e uma vila e asas mágicas". Ou: "Eu queria ter uma namorada para o meu periquito".

Symbolbild Kinderarmut - Kinder vor einem Spielwarengeschäft

Tão perto, mas tão longe

Trata-se de um projeto da artista plástica e autora de livros infantis Manuela Mechtel, que decidiu transformar em grandes murais os maiores sonhos infantis. Já desde meados do ano, sua "Repartição do Céu" sobre rodas recolhia os desejos dos pequenos numa praça de Neukölln. Eles os escreviam ou ditavam e depois pregavam os bilhetinhos num quadro.

Muitos desejaram uma Playstation ou jogos de computador. Um menino pediu apenas uma bola de futebol. "Esse desejo me comove muito", comenta Mechtel. "Se um garoto precisa desejar uma bola, me pergunto, realmente: por que ele não tem nenhuma? Afinal, uma bola de futebol não é muito."

Pobreza de chances

Porém muitos sonhos infantis jamais se tornarão realidade na atual Alemanha. Este é o caso das ambições profissionais. A maioria das meninas gostaria de ser advogada ou médica veterinária. "Mas dificilmente terão a chance de assumir essas profissões."

Manuela Mechtel se irrita: "A pobreza hoje é pobreza de formação. Não se trata mais da falta de comida, como nos tempos da guerra. As crianças aqui simplesmente não recebem mais uma educação decente." Não é fácil crescer num bairro socialmente desfavorecido. No Natal, não é diferente.

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados

  • Data 20.12.2008
  • Autoria Lydia Leipert (av)
  • Imprimir Imprimir a página
  • Link permanente http://p.dw.com/p/GKOq
  • Data 20.12.2008
  • Autoria Lydia Leipert (av)
  • Imprimir Imprimir a página
  • Link permanente http://p.dw.com/p/GKOq