1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Ciência e Saúde

Nasa prepara primeira viagem do Curiosity pelo solo de Marte

Depois de pousar no planeta vermelho, dispositivo espacial moverá suas seis rodas pela primeira vez. Após testes, destino será local que reúne três tipos de terreno. No caminho, robô analisará fragmentos rochosos.

A Nasa revelou nesta sexta-feira (17/08) os próximos passos do robô Curiosity, que pousou em Marte no início de agosto. O dispositivo iniciará sua primeira viagem em solo, parte de uma jornada de dois anos para determinar se o planeta já abrigou vida, informaram cientistas.

O robô de uma tonelada, alimentado por um gerador nuclear, pousou em uma grande cratera em Marte no último dia 6 de agosto, com o objetivo de buscar materiais orgânicos e outros compostos químicos considerados chave para a vida.

Dentro de algumas semanas, o dispositivo deverá deixar o local onde pousou. A eficiência motora do Curiosity será testada nos próximos dias. Para isso, o robô movimentará suas seis rodas para trás e para frente pela primeira vez. A seguir, ele deverá avançar cerca de três metros, girar 90 graus, e retornar dois metros.

"Haverá muitas primeiras vezes para o Curiosity nas próximas semanas, mas os primeiros movimentos das rodas, a primeira vez que o robô realmente se move será algo especial", disse o gerente da Nasa Mike Watkins.

Até o fim da próxima semana, os testes de todos os instrumentos científicos a bordo serão concluídos. O laser do robô deverá provar que consegue pulverizar um leito de rocha. Um pequeno telescópio analisará, então, o material vaporizado para testar que minerais contém.

O sistema combinado, conhecido como "ChemCam" (abreviação de química e câmera, em inglês), foi desenvolvido para fazer cerca de 14 mil medições ao longo da missão do Curiosity. Os cientistas utilizarão as informações coletadas para determinar a composição química do material analisado.

Parada inicial

Após os testes, a primeira parada será Glenelg, a 500 metros do robô. O local reúne três tipos de terreno e abriga camadas de rocha sobrepostas. A viagem até lá levará de quatro a seis semanas, dependendo de quantas paradas os cientistas decidirem fazer.

No caminho, o robô deverá recolher e analisar fragmentos rochosos. Em Glenelg, espera-se que o dispositivo coloque sua broca em ação pela primeira vez. A seguir, o robô se dirigirá para o Monte Sharp, uma montanha com mais de 5 mil metros de altura.

"Suponho que iremos desviar nossas atenções para o Monte Sharp em algum momento próximo ao fim do ano", informou John Grotzinger, cientista-chefe da missão. Prevê-se que a viagem de sete quilômetros até a base da montanha dure vários meses.

LPF/rtr/dpa
Revisão: Marcio Damasceno

Leia mais