Nas entrelinhas de uma campanha | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 10.01.2002
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Nas entrelinhas de uma campanha

Campanha de divulgação do livro "Força para Viver" invade a Alemanha e intriga a população. Pouco se sabe a respeito de quem está por trás do movimento, que também envolve a distribuição gratuita da obra.

default

Paulo Sérgio é um dos divulgadores da campanha do "Força para Viver"

Nas ruas, na televisão e até mesmo na internet, uma oferta bem curiosa está causando agitação na Alemanha. Promete-se liberdade e alegria para aqueles que lerem o livro Força para Viver. Uma promessa não muito diferente da que fazem os milhares de livros de auto-ajuda que pipocam pelo mundo afora. Porém o anormal dessa história toda é que pouco se sabe sobre a Fundação Arthur S. De Moss, a qual promove a campanha e cuida da distribuição gratuita do livro.

Estampados nos cartazes de divulgação da obra, encontram-se celebridades locais e internacionais, como o jogador de golfe alemão Bernhardt Langer e o jogador de futebol brasileiro Paulo Sérgio. Estas, entre outras personalidades, explicam como a leitura do Força para Viver transformou as suas vidas. O caminho para se chegar à plena felicidade parece fácil, "clique aqui para iniciar um contato pessoal com Deus", consta em um link do site do livro, que leva o internauta diretamente ao formulário para solicitação de um exemplar.

Fora o livro, há pouco para ser lido. O site traz apenas as fotos de uns de seus leitores e uma ficha para ser preenchida com os dados pessoais do usuário disposto a ler as palavras "que tocaram milhões de pessoas". Da mesma forma, não se menciona qualquer ligação da fundação a uma seita religiosa, nem se pede por doações. Entre as poucas frases, uma bem direta: "Não respondemos perguntas sobre o conteúdo e a organização da campanha."

Nas entrelinhas — A sede da Fundação Arthur S. De Moss localiza-se na Califórnia. Como uma das maiores organizações beneficentes dos Estados Unidos, ela financia campanhas e projetos cristãos e dispõe de um patrimônio de 450 milhões de dólares. Na Alemanha, a Fundação Moss aparece freqüentemente relacionada a campanhas contra aborto, homossexualidade e pena de morte.

Críticas — A campanha de divulgação do Força para Viver está levantando críticas e causando rumores entre os alemães. As escassas informações a respeito da organização que promove a campanha do livro levantou a suspeita de que o movimento esteja ligado a seitas religiosas. Além disso, o conselho de controle de publicidade nas emissoras de direito público decidiu, nesta quinta-feira, proibir a campanha do livro na televisão. Segundo o órgão, trata-se de publicidade religiosa, propagando uma determinada filosofia de vida, o que é proibido na Alemanha.

Brasil — O livro já foi distribuído em 13 países. No Brasil, a febre do Força para Viver aconteceu por volta da década de 80 e teve como um de seus divulgadores o jogador de futebol Silas, que teria conseguido convencer 600 mil leitores. Atualmente, tudo indica que Silas passou a bola para Paulo Sérgio, o qual aparece nas propagandas da Alemanha, afirmando: "Acima da vitória e da derrota, o meu relacionamento com Deus faz com que eu me sinta sempre um vencedor".

Links externos