Naldo quer deixar o Werder Bremen e voltar para o Brasil | Siga a cobertura dos principais eventos esportivos mundiais | DW | 04.01.2012
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Esporte

Naldo quer deixar o Werder Bremen e voltar para o Brasil

Jogador diz ter uma proposta do Internacional e que terá mais chances de disputar a Copa do Mundo de 2014 se estiver jogando num clube brasileiro.

default

Naldo está no Werder Bremen desde 2005

O zagueiro brasileiro Naldo, que defende o clube alemão Werder Bremen, quer voltar ao Brasil ainda em janeiro, segundo declarações dadas pelo jogador nesta quarta-feira (04/01) em Bremen, antes do voo da sua equipe para uma fase preparatória em Belek, na Turquia.

A declaração preocupou torcedores e a direção do Werder, que já perdeu o zagueiro Per Mertesacker para o Arsenal, da Inglaterra, e vem enfrentando problemas em sua defesa há algumas temporadas.

"Em Belek vou conversar com o Klaus Allofs", disse Naldo antes da partida da equipe para a Turquia, referindo-se ao diretor-esportivo do Werder Bremen. O zagueiro disse ter recebido uma proposta do Internacional de Porto Alegre. "O Brasil é o meu país. Lá se pode ganhar tanto dinheiro como na Europa", afirmou Naldo.

Além disso, o zagueiro disse que jogar a Copa do Mundo de 2014 é um grande objetivo. "Acho que terei mais chances de disputar a Copa estando no Internacional". Naldo está desde 2005 no Werder e disputou quatro jogos pela seleção brasileira. Seu contrato com o time alemão vai até o meio de 2013.

O técnico do Werder, Thomas Schaaf, reagiu com irritação à notícia. "Não seguramos um lugar para o Naldo por um ano e meio sem que tivéssemos a esperança de que ele poderia de novo jogar para nós", disse, referindo-se à longa pausa para a recuperação de uma lesão. "Contamos com isso, portanto é bom ver se isso é mesmo sério."

Allofs disse que o brasileiro já havia conversado com ele em dezembro sobre a possibilidade de um regresso ao Brasil. "Não vemos motivo para abrir negociações", afirmou o diretor esportivo do clube alemão.

AS/dpa/sid
Revisão: Mariana Santos

Leia mais