1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Na cama é mais gostoso

Freud sabia, Madame Récamier sabia, e o amantes sempre o souberam: as delícias da cama chegam agora também ao setor de restaurantes e um jantar se torna uma obra de arte total.

default

O Silk, lounge-restaurante do clube Cocoon em Frankfurt

Imagine você em um restaurante da Baviera, deitado em brancos lençóis, jantando ao lado de alguma celebridade, quando entra o mestre-de-cerimônias vestido de bailarina ou mulher-gato.

Durante o jantar, ele começa a contar: "Quando eu era pequeno na cidade de São Paulo, minha mãe fazia uma pasta de abacate todos os sábados para passar no cabelo e, antes de varrer a casa, ligava o rádio na maior altura. Eu acordava e dizia: mamãe, isto é housemusic."

Não, você não está sonhando, você está em um dos mais badalados restaurantes de Munique, o Nektar. E o mestre-de-cerimônias chama-se Ivan Alves, aliás Ivan van Boyzz, que a DW-WORLD entrevistou e vai nos contar sobre uma tendência que vem se espalhando lentamente pelo setor de gastronomia europeu: o restaurante com espetáculos, onde se come deitado.

Como sempre, a arte é precursora

Ivan Alves, Sofa-dining

Ivan Alves, um dos brasileiros mais conhecidos de Munique

Paulistano do Jabaquara, Ivan nos informou que tudo começou quando artistas, que se reuniam freqüentemente para festejar em um galpão de Amsterdã, resolveram fazer uma lista daquilo de que mais gostavam e uma das participantes escreveu: "domingo, eu gosto de comer na cama".

Nascia o sofa-dining, uma tendência que veio da Holanda há cerca de 15 anos, uma espécie de obra de arte total que reúne comida, espetáculo, música e relaxamento. A idéia dos artistas agradou a um empresário que resolveu investir na nova tendência, montando então o Supper Club de Amsterdã.

Um conceito que também chegou aos clubes mais inovadores alemães, como o Silk, o restaurante do clube Cocoon, em Frankfurt, o Spindler&Klatt, em Berlim e o Nektar, em Munique, que acaba de ganhar o prêmio Herford 2006, o prêmio da gastronomia alemã, pela sua concepção inovadora.

Espetáculos e mais

Nektar Club

Nektar Club

Ivan Alves comenta que cada restaurante tem uma tendência específica. O restaurante do clube Cocoon, um dos clubes mais bonitos da Alemanha, pertencente ao DJ Sven Väth, tem mais um idéia de lounge onde não se pode fumar. No Spindler&Klatt, não há espetáculos.

Já no Supper Club de Amsterdã, o fato da canabis ser tolerada é um toque a mais à atmosfera dionísica criada pelo prazer de jantar um bom menu, escutar uma boa música, tirar os sapatos, deitar-se e ver um bom espetáculo.

Uma concepção também perseguida pelo Nektar de Munique, onde Ivan é mestre-de-cerimônias. Ivan comenta que gregos e romanos já sabiam das vantagens de comer deitado e que o host, ou mestre-de-cerimônias, ganha um papel fundamental nesta obra de arte total, fazendo questão de salientar que, neste tipo de gastronomia, não se trata somente de restaurantes com espetáculos.

Prazeres da carne

Nektar Club

Ambiente dionísico para jantar

Além do host, cuja principal função é levar o cliente a relaxar e voltar-se para si mesmo, no sofa-dining de Munique, o cliente pode receber uma massagem de um mestre japonês ou ver o seu futuro lido por uma experiente vidente.

A clientela varia da classe média a celebridades, todos deitados lado a lado, e o menu custa 49 euros, no restô de Munique, e 65 euros no de Amsterdã – bebidas à parte.

Quem vier à Europa para passear ou para assistir aos jogos da Copa, vale a pena dar uma passadinha em um destes restaurantes para relaxar e entregar-se literalmente aos prazeres da carne.

Leia mais