1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Número de mortos no Nepal passa de 6,2 mil

Após terremoto, autoridades dizem que 14 mil ficaram feridos e 2,8 milhões estão desabrigados. Cerca de mil europeus continuam desaparecidos. Número de vítimas pode aumentar, pois chances de achar sobreviventes diminuem.

Quase uma semana depois do terremoto de magnitude 7,9 graus que atingiu o Nepal, o número de mortos passou de 6,2 mil e o de feridos chegou a 14 mil, informaram autoridades locais nesta sexta-feira (01/05).

As equipes de resgate começam a chegar lentamente em regiões mais remotas do país. Mas os responsáveis afirmam que as chances de encontrar sobreviventes estão diminuindo. O resgate tem dificuldades de chegar a diversas regiões no país devido ao mau tempo e aos danos causados pelo terremoto.

Em um comunicado, a Cruz Vermelha afirmou nesta sexta-feira que está "extremamente preocupada" com o bem-estar de centenas de milhares de nepaleses, depois que suas seis equipes de avaliação encontraram sobreviventes em "situação desesperadora".

"Uma de nossas equipes que retornou de Chautara, na região Sindhupalchok, constatou que 90% das casas estão destruídas. O hospital entrou em colapso e as pessoas estão escavando os escombros com as mãos na esperança de encontrar familiares vivos", afirmou Jagan Chapagain, diretor da organização na Ásia.

Segundo a União Europeia, aproximadamente mil europeus continuam desaparecidos no Nepal, a maioria deles turistas que estavam visitando as regiões de Langtang e Lukla.

Langtang é um local de montanhas e trilhas localizado ao norte de Katmandu e foi atingido por avalanches e deslizamentos de terra. Lukla, no nordeste do país, é o ponto de acesso para quem deseja escalar o Monte Everest.

Desabrigados

De acordo com a ONU, cerca de 600 mil casas foram destruídas e danificadas. Além disso, o mau cheiro dos corpos ainda soterrados e tremores secundários dificultam a volta para casa dos sobreviventes. Muitos nepaleses estão dormindo ao relento desde o terremoto do último sábado.

De acordo com as autoridades, o desafio é localizar e identificar os desaparecidos, enterrar os mortos e unir famílias. A remoção dos corpos que ainda estão sendo encontrados se tornou um problema para as equipes de resgate.

"Os necrotérios estão lotados e nós recebemos instruções para incinerar os corpos imediatamente após eles serem encontrados", afirmou Raman Lal, funcionário da equipe indiana que trabalha em conjunto com as forças nepalesas.

O terremoto atingiu cerca de 8 milhões de pessoas e pelo menos 2,8 milhões estão desabrigados e precisam de moradia, água, comida e medicamentos durante os próximos três meses, segundo a ONU.

O ministro das Finanças nepalês, Ram Sharan Mahat, afirmou que o país precisa de no mínimo 2 bilhões de dólares para reconstruir casas, hospitais, prédios do governo e monumentos históricos. Mahat pediu ajuda financeira internacional.

"Essa é apenas uma estimativa inicial e vai levar tempo para avaliar a extensão dos danos e calcular o custo da reconstrução", afirmou o ministro.

CN/rtr/afp/lusa

Leia mais