1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Nível dos rios ainda causa tensão no leste e no norte da Alemanha

Situação mantém regiões inundadas em alerta. Nível das águas demora a baixar, e há perigo de rompimento de diques. Merkel visita áreas atingidas em dois estados e anuncia criação de fundo de assistência.

Apesar de os níveis das águas estarem se estabilizando, a situação nas áreas de inundação no leste e no norte da Alemanha permanece tensa. "As águas do Elba ainda pressionam os diques", informou em Potsdam nesta quarta-feira (12/06) o centro de crise do governo do estado de Brandemburgo. A chanceler federal alemã, Angela Merkel, anunciou, durante uma visita a regiões inundadas no estado da Baixa Saxônia, a criação de um fundo para financiar os danos causados pelas cheias.

A situação continua crítica nesta quarta-feira em cidades como Fischbeck, na fronteira entre Saxônia-Anhalt e Brandemburgo. Na região, a água do rio Elba continua fluindo através de uma brecha em um dique. As autoridades na Saxônia-Anhalt determinaram a retirada compulsória de moradores de três povoados da região. Voluntários em Brandenburgo construíram um dique de emergência para tentar deter o avanço das águas. Além disso, 40 mil pessoas foram convocadas a deixar suas casas.

Atrasos nos trens

A interdição de uma ponte ferroviária sobre o rio Elba por causa das inundações, nos arredores de Schönhausen, na Saxônia-Anhalt, vai continuar a prejudicar o tráfego de trens, causando atrasos nas conexões entre Berlim e Frankfurt e entre Berlim, Hannover e o Vale do Ruhr.

Angela Merkel Hochwasser Elbe in Hitzacker 12.06.2013

Merkel conversa com voluntário em um dique durante visita a Hitzacker

Um pouco mais ao norte, em Mecklemburgo-Pomerânia Ocidental, Schleswig-Holstein e Baixa Saxônia, há preocupação com a pressão das águas sobre os diques do rio Elba. Embora o nível máximo já tenha possivelmente sido alcançado, este deve continuar sobrecarregando os diques por mais três a cinco dias, segundo autoridades locais. Existe o risco de um vazamento de barragens.

Merkel visitou novamente nesta quarta-feira regiões afetadas pelas cheias. Desta vez, a chefe de governo foi a Schleswig-Holstein e à Baixa Saxônia. Em Hitzacker, na Baixa Saxônia, ela anunciou a criação de um fundo "encarregado dos danos a longo prazo". No início das enchentes, Merkel havia prometido uma ajuda de emergência de 100 milhões de euros. Na quinta-feira, ela pretende se encontrar com os governadores dos estados alemães para tratar sobre auxílios financeiros adicionais.

Pelo menos oito mortos

Um fundo de ajuda para enfrentar as consequências da catástrofe das cheias foi exigido nos últimos dias, entre outros, por vários governadores e pela oposição. Após as chamadas "inundações do século", em 2002, governos federal e estaduais criaram um fundo de ajuda de mais de 7 bilhões de euros.

Hochwasser Elbe Magdeburg

Jardim com piscina inundado pelo Elba, em Magdeburg

Vários meios de comunicação divulgaram nesta quarta-feira que o governo federal alemão está disposto a participar do fundo com quantias entre 3 e 4 bilhões de euros. O governo, entretanto, não confirmou a informação.

O número de mortes na Alemanha em consequência das duas semanas de cheias subiu para pelo menos oito. Uma moradora de 61 anos do povoado de Aken, na Saxônia-Anhalt, morreu eletrocutada na noite de terça para quarta, ao tentar bombear água de seu porão.

MD/dpa/afp

Leia mais