Museus alemães participam do Museu Universal da Arte em Dubai | Cultura europeia, dos clássicos da arte a novas tendências | DW | 29.05.2008
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura

Museus alemães participam do Museu Universal da Arte em Dubai

Depois do Louvre parisiense, do Hermitage de São Petersburgo e do Metropolitan nova-iorquino, três importantes museus alemães anunciaram que participarão em Dubai do Museu Universal da Arte.

default

Museu Universal da Arte deverá ser construído na baía de Dubai

Três das mais importantes instituições culturais da Alemanha – Staatliche Museen zu Berlin (Museus Estatais de Berlim), Staatliche Kunstsammlungen Dresden (Coleções Estatais de Arte de Dresden) e Bayerische Staatsgemäldesammlungen (Pinacotecas Estatais da Baviera) – anunciaram na quarta-feira (28/05) em Berlim sua presença em Dubai.

Juntamente com os diretores dos museus alemães, Michael Schindhelm, antigo chefe da Fundação das Óperas de Berlim e diretor da Autoridade de Cultura e Artes de Dubai (DCAA), declarou que os três grandes museus de Berlim, Dresden e Munique apoiarão a construção do Museu Universal da Arte no emirado.

Os museus alemães farão parte do Al-Khor Dubai, projeto cultural de mais de 20 quilômetros de extensão que o xeque Mohamad bin Rashid al-Maktoum pretende construir ao longo da baía de Dubai.

O xeque, vice-presidente dos Emirados Árabes Unidos e governante de Dubai, deseja transformar a área no coração cultural da cidade. Estão previstos para a área dez museus, uma casa de ópera, 14 teatros, 11 galerias e nove bibliotecas públicas.

Maior união de museus do mundo

Michael Schindhelm

Schindhelm considera alemães aptos a criar museu em Dubai

A participação das instituições alemãs não se restringirá à mera abertura de filiais no emirado. Também está planejada uma cooperação com as autoridades culturais de Dubai para a realização de diferentes iniciativas conjuntas, como exposições e conferências sobre artes plásticas e sobre as culturas do mundo. Os museus alemães também participarão com know-how e pessoal para ajudar na construção do ambicioso projeto.

Além da exposição de obras de arte modernas e raras, os museus alemães atuarão no intercâmbio de pessoal especializado na área de pesquisa e restauração. As instituições também fomentarão programas conjuntos de pedagogia museal.

Michael Schindhelm, diretor cultural da DCAA, afirmou à revista Der Spiegel que considera os alemães bastante aptos a elaborar um novo museu. O sucesso da fusão dos acervos das antigas Alemanha Ocidental e Oriental predestina os alemães a serem "os parteiros da maior união de museus do mundo", disse Schindhelm.

Museus Estatais de Berlim

Das Archivbild vom 28.06.1996 zeigt den Haupteingang zum Pergamon-Museum

Museu de Pérgamo na Ilha dos Museus

Além dos Museus Estatais de Berlim, das Coleções Estatais de Arte de Dresden e das Pinacotecas Estatais da Baviera, o novo Museu Universal da Arte cooperará com importantes instituições internacionais.

Entre os sócios do novo Museu Universal estão o Museu Britânico de Londres, o Museu Metropolitan de Nova York, o Museu Hermitage de São Petersburgo, o Museu do Louvre de Paris e o Museu Guggenheim.

Os Museus Estatais de Berlim formam a maior aliança de museus do mundo. Esta compreende 16 museus, espalhados por Berlim e pela Alemanha, três institutos de pesquisa e a maior oficina de gesso do mundo. Neles se encontram obras da arte européia, islâmica, americana, africana e asiática, além de objetos da arqueologia e etnologia.

A Ilha dos Museus em Berlim – coração dos Museus Estatais de Berlim – foi declarada pela Unesco Patrimônio Cultural da Humanidade em 1999. Os museus localizados no centro da capital alemã abrigam célebres exemplos da arte mundial, como o busto da imperatriz egípcia Nefertiti, o Altar de Pérgamo e a Porta de Ishtar.

Coleções Estatais de Arte de Dresden

Juwelenzimmer im Grünen Gewölbe - BdT

Sala de jóias da Abóbada Verde

As Coleções Estatais de Arte de Dresden pertencem aos mais antigos e mais importantes museus do mundo. Ao todo, 11 museus oferecem obras de arte com mais de 450 anos de história.

Na Gemäldegalerie Alte Meister (Galeria de Pintura dos Velhos Mestres) estão expostos quadros dos mais importantes pintores dos séculos 16, 17 e 18. Entre estes, obras de Rafael, Ticiano, Vermeer, Rembrandt e Rubens.

A coleção de porcelana é a maior e mais valiosa fora da Ásia e engloba também importantes peças da porcelana de Meissen, inventada há 300 anos na Saxônia. As Coleções Estatais de Arte de Dresden se orgulham de possuir um dos mais valiosos tesouros reais do mundo: a Abóbada Verde com cerca de 3 mil peças em ouro, prata, diamantes e pérolas.

Pinacotecas Estatais da Baviera

Manet Ausstellung in München

Pinacotecas de Munique abrigam grandes mestres

Com quase 30 mil obras de arte, as Pinacotecas Estatais da Baviera são uma das maiores coleções de pintura do mundo. A coleção engloba obras que vão do século 14 até a arte contemporânea, espalhadas nos três principais museus de arte de Munique: Alte Pinakothek (Velha Pinacoteca), Neue Pinakothek (Nova Pinacoteca) e Pinakothek der Moderne (Pinacoteca da Modernidade), como também em 16 filiais em toda a Baviera.

Reinhold Baumstark, diretor-geral das Pinacotecas Estatais da Baviera afirmou que "participar do desenvolvimento de Dubai como um dos principais centros culturais do mundo é, para nós, uma tarefa excitante. Estamos orgulhosos em poder mostrar, em breve, obras-primas de Munique ao público em Dubai".

Baumstark acresceu que "com mais de 200 nacionalidades, este país [Dubai] pode se orgulhar de ser um verdadeiro palco mundial".

Leia mais