Murdoch diz que não sabia de nada e está ″horrorizado e envergonhado″ | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 19.07.2011
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Murdoch diz que não sabia de nada e está "horrorizado e envergonhado"

Diante de comissão do Parlamento britânico, magnata Rupert Murdoch atribui toda responsabilidade pelo escândalo a seus colaboradores. Transmitida ao vivo pela televisão, audiência constitui sensação de mídia.

default

Murdoch (d) na audiência em Londres

"Só quero dizer uma frase: este é o dia mais humilhante na minha vida", comentou o magnata da mídia Rupert Murdoch, de 80 anos, antes de começar a depor a uma comissão da Câmara dos Comuns em Londres nesta terça-feira (19/07). Segundo suas declarações, ele nada sabia das práticas de espionagem em seu tabloide e foi enganado pelos responsáveis, "pessoas em quem eu confiava". As práticas dos jornalistas do News of the World o deixaram "chocado, horrorizado e envergonhado", afirmou.

Quando o caso veio à tona, sua empresa News Corporation teria cooperado com a polícia. Além disso, seus advogados em Londres estariam encarregados de investigar as acusações, assegurou. A audiência foi transmitida ao vivo pela televisão, o que, em si, constituiu uma sensação, já que Murdoch raramente se pronuncia em público.

O australiano com passaporte americano estava visivelmente abatido pelo escândalo, apesar de ainda aparentar grande energia. Além de ter lhe custado dois de seus mais leais colaboradores – Rebekah Brooks e Les Hinton – o caso ameaça sua própria posição à frente do conglomerado de mídia. Também interrogado pelos parlamentares, seu filho James Murdoch pediu desculpas tanto pelo grampeamento de conversas telefônicas como pelo pagamento de propinas à polícia.

O fechamento do tabloide News of the World foi decidido por causa da "vergonha" que causou à News Corporation, afirmou Rupert Murdoch aos deputados britânicos. "Sentimo-nos envergonhados com o que aconteceu e pensamos que era melhor fechar", afirmou, em referência às revelações sobre escutas telefônicas feitas por jornalistas do News of the World. "Traímos a confiança dos nossos leitores."

A audiência foi interrompida quando um homem atirou um prato de plástico com espuma de barbear no rosto do presidente da News Corporation. Após uma breve suspensão, a sessão foi retomada, tendo terminado duas horas depois do previsto.

Ex-chefes da polícia negam dolo

O ex-comissário-chefe da Scotland Yard Paul Stephenson igualmente depôs diante da câmara inferior do Parlamento britânico nesta terça-feira. Segundo ele, trabalhavam no departamento de imprensa da polícia londrina dez funcionários – quase um quarto da repartição – antes pertencentes ao império Murdoch. Apesar disso, não havia qualquer conexão dolosa com a News International, alegou.

Scotland Yard Paul Stephenson Murdoch News of the World Abhörskandal

Ex-chefe da Scotland Yard Paul Stephenson também depôs no Parlamento

Stephenson disse ignorar que jornalistas estavam sendo espionados. Ao mesmo tempo, admitiu como embaraçoso o fato de que, em 2009, o Metropolitan Police Service houvesse contratado Neil Wallis como assessor de relações públicas. O antigo jornalista do News of the World foi preso há cerca de uma semana, acusado de envolvimento no escândalo dos grampos.

O ex-vice de Stephenson, John Yates – o qual, como o chefe, pediu demissão do cargo – foi também ouvido pela comissão extraordinária. Também ele negou haver incorrido em comportamento fraudulento. Entretanto admitiu, em retrospectiva, ter sido um erro ordenar a suspensão das investigações sobre o escândalo de espionagem jornalística em 2009.

News Corp: império mundial

A norte-americana News Corporation conta entre os maiores conglomerados de mídia do mundo. Ela atua na Alemanha, Austrália, Itália, Reino Unido e diversos países asiáticos, mas sobretudo nos Estados Unidos. Em 2010, fez no país 17,3 bilhões de dólares de seu faturamento total de 32,8 bilhões de dólares.

À News Corp pertencem não só a associação Fox Broadcasting, a que estão ligadas 27 emissoras de TV, como também as operadoras de cabo FX Network e Fox News. Com sua programação de cunho claramente patriótico, esta última alcançou, no ano passado, 98 milhões de lares.

News Corporation Rupert Murdoch BSkyB

Prédio da News Corp em Nova York

Desde 2007 pertence a Murdoch o periódico econômico Wall Street Journal. De perfil liberal, ele é considerado o veículo de imprensa escrita de maior tiragem nos EUA (2,1 milhões de exemplares). Por outro lado, nos últimos anos o tabloide da News Corporation New York Post (523 mil exemplares) tem apresentado prejuízos. A app do novo jornal para o iPad The Daily foi baixada mais de 800 mil vezes, porém o periódico digital ainda não é lucrativo para Murdoch.

Em 1985, a News Corp passou a controlar o estúdio 20th Century Fox, em Hollywood, e a operadora de vídeos e DVDs Century Fox Home Entertainment. Fazem ainda parte do império midiático a editora HarperCollins e 35% do portal Hulu.

Na Inglaterra, o empresário possui o popular tabloide The Sun, assim como The Times e The Sunday Times. Dez dias atrás fechou o tabloide News of the World, com 168 anos de existência, em decorrência do escândalo de espionagem. Ao império Murdoch pertence, ainda, 39% do conglomerado televisivo British Sky Broadcasting (BSkyB). O magnata fizera uma oferta bilionária para sua incorporação total, a qual, entretanto, retirou em 13 de julho último, pressionado pelas consequências do escândalo dos grampos.

AV/dapd/dpa/afp/rtr/lusa
Revisão: Alexandre Schossler

Leia mais