Munique lamenta derrota na eleição dos Jogos de Inverno de 2018 | Siga a cobertura dos principais eventos esportivos mundiais | DW | 07.07.2011
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Esporte

Munique lamenta derrota na eleição dos Jogos de Inverno de 2018

Escolha da cidade sul-coreana de Pyeongchang causou decepção e tristeza entre os representantes de Munique. Cidade alemã teve 25 votos, contra 63 para os asiáticos.

Jacques Rogge anuncia a cidade vencedora

Rogge anuncia a cidade escolhida para sediar os Jogos

A rápida decisão a favor de Pyeongchang, na Coreia do Sul, para ser a sede dos Jogos Olímpicos de Inverno de 2018 causou surpresa até ao presidente do Comitê Olímpico Internacional, Jacques Rogge. O anúncio foi feito nesta quarta-feira (07/06), em cerimônia em Durban, na África do Sul. "Eu não esperava uma vitória na primeira rodada, falando francamente. Achei que aconteceriam pelo menos duas rodadas", admitiu.

Em Munique, também candidata à sede dos jogos, a notícia foi recebida com tristeza. "Fiquei decepcionado com o resultado. O que é completamente compreensível, quando se persegue um objetivo por 12 anos e, nos últimos anos, foi preciso arregaçar as mangas para superar muitos obstáculos e remover as pedras no caminho", lamentou o prefeito da cidade bávara, Christian Ude.

Pyeongchang recebeu 63 votos, batendo os 25 dados a Munique e os sete a Annecy, na França. "Não vemos os investimentos na candidatura como equivocados, mas como uma campanha mundial enorme para Munique. E nós ganhamos ainda mais simpatia com a nossa apresentação final, isso é inquestionável", ponderou Ude.

Olympia Winterspiele 2018 München Trauer Bayern

Jovem com trajes bávaros lamenta a derrota, que ele acompanhou por um telão às margens do lago Königssee

Decepção geral

"Estou chateado por a Baviera, Munique, a Alemanha não ser a sede das Olimpíadas de Inverno de 2018. Nós seríamos uma ótima sede, não apenas no aspecto esportivo, mas também no aspecto da hospitalidade, e isso os alemães já mostraram várias vezes", comentou o ministro alemão do Exterior, Guido Westerwelle, que, em seguida, cumprimentou a Coreia do Sul.

Jogadores e dirigentes do time de futebol Bayern de Munique, um dos símbolos da cidade, também demonstraram tristeza. "Todos fizeram tanto para que Munique fosse eleita, por isso a decepção é tão grande", disse o lateral Phillipp Lahm.

Se fosse escolhida, Munique seria a primeira cidade no mundo a sediar os Jogos Olímpicos (em 1972) e os Jogos de Inverno.

Vitória dos coreanos

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, afirmou que a escolha da sede dos jogos de 2018 foi coerente. "Não foi uma surpresa. Pyeongchang é um novo mercado para o esporte de inverno", comentou.

O presidente da Coreia do Sul, Lee Myung-bak, e sua delegação

O presidente da Coreia do Sul, Lee Myung-bak, e delegação

Segundo o presidente do Comitê Olímpico Internacional, a cidade sul-coreana mostrou-se determinada e mereceu ser escolhida, depois de, por duas vezes, ter ficado em segundo lugar nas candidaturas para abrigar os Jogos Olímpicos de Inverno de 2010 e 2014. "Acho que há uma lição no feito alcançado por Pyeongchang. A paciência e a perseverança prevaleceram", adicionou Rogge.

Sobre a tradição europeia de sediar os jogos de inverno, Rogge declarou: "Eu não estou, definitivamente, pessimista sobre o futuro das Olimpíadas de Inverno. Já há propostas sendo organizadas tanto pela Europa como pelos Estados Unidos, e também por outros países".

Na Coreia do Sul, o resultado causou comoção. "No passado, nós achávamos que as Olimpíadas poderiam ser organizadas apenas por países grandes e ricos, mas agora é a vez do Rio de Janeiro (sede das Olimpíadas de 2016) e a nossa. Quer dizer que até os países em desenvolvimento, com um bom programa e uma boa campanha, podem receber os jogos no futuro", comemorou Park Yong-Sung, presidente do Comitê Olímpico Sul-Coreano.

NP/dpa/afp/dpad
Revisão: Alexandre Schossler

Leia mais