Mulheres protestam contra cultura do estupro | Notícias e análises sobre os fatos mais relevantes do Brasil | DW | 02.06.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Brasil

Mulheres protestam contra cultura do estupro

Ato convocado pelas redes sociais reúne mulheres em várias cidades do país. No Rio de Janeiro, mais de 2 mil manifestantes participaram da ação que condena a misoginia e o machismo.

Assistir ao vídeo 02:39
Ao vivo agora
02:39 min

Brasil protesta contra a violência sexual

Milhares de mulheres protestaram nesta quarta-feira (01/06) em diversas cidades brasileiras contra o abuso sexual e a "cultura do estupro" que criminaliza as vítimas e isenta os agressores. O protesto foi convocado após o estupro de uma adolescente no Rio de Janeiro que chocou o país.

No Rio de Janeiro, a marcha reuniu mais de 2 mil mulheres no centro da cidade. As manifestantes levaram cartas com dizeres como "não é não", "o machismo mata", "se trata de violência, não de sexo". As mulheres caminharam pela Avenida Presidente Vargas.

Em São Paulo, o ato, chamado Por todas Elas, foi convocado pelas redes sociais e reuniu centenas de mulheres em frente ao Masp. As manifestantes condenaram o machismo, a misoginia e defenderam os direitos femininos.

A jornalista Camila Engelbrecht afirmou que o Brasil foi construído com base em uma sociedade patriarcal, na qual a mulher é vista e tratada de forma desigual, com um ser menor do que o homem.

As manifestantes caminharam pela Avenida Paulista até a Praça Roosevelt. Durante a marcha, algumas gritaram "Machistas, golpistas, não passarão" e "O corpo é da mulher e ela dá para quem quiser".

CN/efe/abr

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados