1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Mulher tenta cruzar fronteira com menino escondido em mala

Equipamento de raios-X detecta garoto marfinense de oito anos sendo contrabandeado do Marrocos ao enclave espanhol de Ceuta. Jovem marroquina e o pai da criança estão presos sob acusação de abuso dos direitos humanos.

A polícia de Ceuta, um enclave espanhol no norte da África, encontrou nesta sexta-feira (08/05) um menino de oito anos da Costa do Marfim escondido numa mala de viagem em tentativa de contrabandeá-lo através da fronteira, segundo autoridades locais. Uma jovem foi presa depois de ter levado a mala pela passagem de pedestre entre Marrocos e Ceuta, explicou a Guarda Civil.

"Quando colocaram a mala no equipamento de raios-X, o operador notou algo estranho, que parecia ser uma pessoa dentro da mala", disse um porta-voz da Guarda Civil, acrescentando que "quando foi aberta, encontraram um menor de idade num estado terrível".

Spanien - Illegale Einwanderung

Guarda Civil de Ceuta encontrou um menino de oito anos, após passar uma mala pelo detector de raios-X

A mulher, que foi intimada a comparecer perante a corte, supostamente foi paga pelo pai do menino, que também foi preso quando tentava atravessar a fronteira algumas horas mais tarde. Segundo o tribunal local, tanto o pai como a esposa possuem direitos de residência na Espanha, mas o menino não. O magistrado de Ceuta ordenou a prisão do pai sob a acusação de abuso dos direitos humanos.

Milhares de migrantes e requerentes de asilo arriscam suas vidas todos os anos tentando entrar em Ceuta e Melilla, outro território espanhol que faz fronteira com o Marrocos. Muitos tentam escalar a cerca de aproximadamente sete metros de altura que separa as cidades espanholas do território africano. Outros tentam atravessar a fronteira a nado ou se escondendo em veículos.

No início desta semana, um marroquino de 23 anos foi encontrado severamente desidratado num container de navio em Melilla. Ele passou quatro dias sem comer ou beber quando o container foi deixado sem vigilância durante o fim de semana do feriado de primeiro de maio.

PV/afp/ap

Leia mais