1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Mulher morre em ritual de exorcismo na Alemanha

Polícia prende cinco suspeitos de assassinar sul-coreana de 41 anos, entre eles, está filho de vítima. Detidos alegam que mulher estava possuída pelo demônio. Ela foi amarrada em cama e espancada por duas horas.

default

Exorcismo ocorreu em hotel Intercontinental, em Frankfurt

A polícia alemã pretendeu cinco pessoas suspeitas de assassinar uma mulher de 41 anos durante um ritual de exorcismo em um hotel em Frankfurt, na Alemanha, anunciou a promotoria pública da cidade nesta quarta-feira (09/12). Os detidos são da mesma família e alegaram que a vítima estava possuída por demônios.

A sul-coreana foi amarrada na cama do hotel e espancada durante horas. Para conter os gritos da vítima, os suspeitos colocaram uma toalha em sua boca. Ela morreu sufocada. O ritual de exorcismo teria ocorrido no sábado.

Uma mulher de 44 anos, seu filho de 21, sua filha de 19, além de um jovem de 15 e o filho da vítima, que também tem 15 anos, foram presos acusados de assassinato. Os detidos também são da Coreia do Sul e chegaram a cerca de seis semanas no estado alemão de Hessen.

"Como base em informações atuais, os suspeitos causaram na vítima agonia e dor por, pelo menos, duas horas, na qual sua ação foi levada por uma atitude insensível e inclemente. Nunca havia vivenciado algo assim", afirmou a procuradora geral Nadja Niesen.

A autopsia revelou que a sul-coreana levou vários golpes na barriga e no peito. Seu corpo estava cheio de hematomas e um cabide foi pendurado em sua boca. Ainda não está claro se o ritual teria acontecido a pedido da vítima. Niesen acrescentou ainda que não se sabe a qual grupo religioso os suspeitos pertencem.

Durante o interrogatório do grupo, a polícia chegou a outra possível vítima. Em Sulzbach, ao norte de Frankfurt, as autoridades encontraram uma mulher extremamente machucada, desidratada e com hipotermia. A casa, onde ela foi localizada, teria sido alugada pelos suspeitos, mas eles teriam morado lá esporadicamente.

Um porta-voz da rede de hotéis Intercontinental confirmou o incidente, mas não quis dar mais detalhes sobre as circunstâncias envolvendo o crime.

CN/afp/dpa

Leia mais