1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Muito patriotismo, sexo e álcool nas comemorações do jubileu

Grã-Bretanha está em estado de exceção, afirma o "Financial Times", e equipa-se com muita cerveja, bandeiras e camisinhas para comemorar durante quatro dias os 50 anos de Elizabeth no trono.

default

É uma atração dupla a que os britânicos não podem resistir: o jubileu da rainha coincide com o início do Campeonato Mundial de Futebol. As vendas de cerveja, bebidas alcoólicas, bandeiras, camisinhas e comprimidos contra ressaca atingiram recordes de uns dias para cá, afirma o Financial Times em sua edição de sábado (01).

Até terça-feira (04), estão planejados milhares de desfiles, concertos, festas populares e espetáculos de fogos de artifício, em comemoração aos 50 anos de entronização de Elizabeth II, que assumiu o comando da monarquia britânica em 1952, logo após a morte de seu pai, Georg VI.

Cerca de um terço dos britânicos querem celebrar sua rainha, calculam os responsáveis pelos festejos, "os maiores da história", segundo o Evening Standard. Ainda no começo do ano, temia-se que o prestígio dos royals estava baixo demais para entusiasmar os súditos.

Agora, toda a família real participa e alegra-se, garante uma porta-voz da monarquia. Até a amante do príncipe Charles, Camilla Parker Bowles, foi convidada para o concerto na noite deste sábado nos jardins do Palácio de Buckingham, que pela primeira vez abre seus portões ao público.

Cerca de 12 mil pessoas conseguiram ingressos para participar de um piquenique nos gramados e assistir à apresentação, entre outros, da soprano neozelandesa Kiri Te Kanawa e do celista russo Mstislav Rostropovitch. Através de telões, o o concerto pode ser acompanhado também nos parques vizinhos. Na segunda (03), vai ser a vez da música pop, com Paul McCartney, Mick Jagger e Phil Collins. As medidas de segurança em Londres nestes dias são das mais severas.

Leia mais