1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Mudança de peso

Usinas siderúrgicas alemãs são desmontadas para serem instaladas na China, maior produtor e maior consumidor de aço no mundo. Chineses de olho na tecnologia alemã de proteção ambiental.

default

Altos-fornos usados para a China

O que para alguns já não presta mais, para outros pode ser uma dádiva. Lições de religião à parte, aqui trata-se da desmontagem completa de usinas siderúrgicas para posterior transporte e montagem em outro continente. Esta operação mamute está em andamento na Alemanha e tem um só destino: China.

Obsoletas no próprio país, as robustas aciarias alemãs escondem tecnologia valiosa para os asiáticos. O maior desmonte da história industrial aconteceu em Dortmund, no oeste alemão. Mil chineses participaram da minuciosa operação numa usina da ThyssenKrupp, que será montada em Xangai.

Meio ambiente ─ A usina de coque mais moderna e menos poluidora da Europa está sendo desmontada em Kaiserstuhl, no oeste alemão. Depois de oito anos de funcionamento, ela foi desativada há três, após perder sua rentabilidade com o fechamento de um alto-forno em Dortmund.

Cerca de 300 chineses participam do desmonte, previsto inicialmente para durar um ano e meio, mas que deve terminar em sete meses. Ignorando a legislação trabalhista alemã, eles cumprem uma jornada de dez horas por dia, seis dias por semana.

A venda foi efetuada pela companhia Deutsche Steinkohle AG para a Famous Industrial Group, que por sua vez a passou ao Yankuang Group, maior grupo chinês estatal de mineração. Técnicos alemães selam para que sejam mantidos os padrões de segurança.

O preço é segredo guardado a sete chaves. O responsável pela desmontagem, Mo Lishi, destaca a importância para a indústria em seu país: "Depois que estiver reconstruído, será o maior forno deste tipo na China. Sem falar na proteção do meio ambiente, que sem dúvida trará grandes progressos para a China".

Aumento na produção ─ O grupo alemão ThyssenKrupp ─ sétimo maior produtor mundial em 2001, com 16,2 milhões de toneladas ─ anunciou esta semana que pretende ampliar sua produção de aço na China. A demanda registra um grande aumento no maior importador do mundo, graças ao rápido crescimento de setores como as indústrias automobilística e da construção.

Até o final de 2004, a empresa pretende multiplicar por dez sua capacidade de produção na China para 700 mil toneladas, declarou seu presidente, Ekkehard Schulz. A ThyssenKrupp possui 60% da Shanghai Krupp Stainless, uma joint-venture com um parceiro chinês.

Leia mais