MSF rejeita fundos europeus por falhas na política migratória | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 17.06.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

MSF rejeita fundos europeus por falhas na política migratória

Organização Médicos Sem Fronteiras diz que não vai mais receber fundos do bloco europeu em protesto a medidas como o acordo de refugiados UE-Turquia.

A organização humanitária Médicos Sem Fronteiras (MSF) anunciou nesta sexta-feira (17/06) que irá recusar fundos da União Europeia (UE) em protesto contra as políticas adotadas pelo bloco em relação à crise migratória.

Segundo a MSF, essa é uma resposta às "vergonhosas políticas de dissuasão e a intensificação dos esforços para repelir as pessoas e seu sofrimento para trás das margens europeias", diz um comunicado.

"Essa decisão tem efeito imediato e será aplicada a todos os projetos dos Médicos Sem Fronteiras em todo o mundo", disse Jérôme Oberreit, secretário-geral da organização.

Para a MSF, o acordo de refugiados entre a UE e a Turquia, firmado em março, resultou no bloqueio de 8 mil requerentes de asilo, incluindo centenas de menores, nas ilhas gregas.

Eles estão "vivendo em condições terríveis, em campos sobrelotados", denuncia a Ong. Segundo as negociações, a UE promete receber um refugiado sírio que esteja em acampamentos na Turquia, em troca de o país reassentar um refugiado que tenha chegado à Grécia.

Oberreit diz que o acordo coloca a proteção que deve ser oferecida aos refugiados "em risco".

Mais de 90% das atividades da MSF são financiadas por meio de doações privadas. Devido à crise migratória, a Ong recebeu em 2015 56 milhões de euros de instituições europeias e dos 28 países-membros do bloco.

"Estamos procurando por outros canais de financiamento", afirmou a especialista em migrações da MSF, Aurelie Ponthieu. "Não vamos cortar programas já existentes."

KG/lusa/afp

Leia mais