Morte de civis em ataques da Otan causa revolta no Afeganistão | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 29.05.2011
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Morte de civis em ataques da Otan causa revolta no Afeganistão

Ataque aéreo da Otan mata 14 civis, incluindo 12 crianças. Caso é um entre vários registrados recentemente. Mais de 30 civis morreram em ataques das tropas internacionais nos últimos dias, dizem autoridades locais.

Helicópteros dos EUA em ação no Afeganistão

Helicópteros dos EUA em ação no Afeganistão

Principalmente os civis sofrem com a guerra no Afeganistão. Isso ficou mais uma vez comprovado com o trágico incidente na província de Helmand, no sul do país, na madrugada deste domingo (29/05). Segundo o porta-voz do governo da região, um ataque de tropas da Força Internacional de Assistência para Segurança (Isaf, na sigla em inglês) matou cinco meninas, sete meninos e duas mulheres. Outras seis pessoas ficaram feridas, entre elas, três crianças.

Tropas dos Estados Unidos teriam sido atacadas por guerrilheiros talibãs na região de Nawzad e pediram ajuda aérea, disse o porta-voz. Helicópteros foram, então, auxiliar os soldados com artilharia aérea. Duas casas com civis acabaram sendo alvejadas, relatou o porta-voz.

A Isaf comunicou que vai investigar o caso. Uma equipe de investigadores já estaria a caminho da região.

"Minha casa foi bombardeada no meio da noite e minhas crianças foram mortas", relatou um parente das vítimas. "Os talibãs estavam bem longe da minha casa. Por que então ela foi bombardeada?"

O líder de uma tribo em Nawzad disse à agência de notícias AFP que 12 integrantes de sua família foram mortos e outros dez ficaram feridos no ataque da Otan. Ele contou ter visto os helicópteros sendo atacados a tiros. As aeronaves teriam recuado e voltado dez minutos depois, quando dispararam foguetes contra as residências.

Homens em trajes de luto carregavam em seus braços os corpos das crianças, envoltos em panos cheios de manchas de sangue. Os cadáveres foram postos num caminhão e levados à capital da província.

Cerca de 2.800 civis mortos em 2010

No Afeganistão, cresce a revolta com as mortes de civis nos ataques aéreos das tropas estrangeiras. Somente nos últimos dias, ataques da Otan mataram mais de 30 civis, segundo as autoridades locais. O caso anterior ocorreu na província de Nuristão, na quarta-feira passada (25/05), quando 18 civis e 20 policiais foram mortos por engano. Eles haviam sido confundidos com rebeldes do Talibã pelos soldados da Otan.

De acordo com números das Nações Unidas, o conflito no Afeganistão custou a morte de quase 2.800 civis somente no ano de 2010. Em torno de 15% dos casos, as mortes são atribuídas às tropas estrangeiras e afegãs, os demais 85% são de responsabilidade dos rebeldes do Talibã.

Uma semana antes, uma menina havia sido morta durante uma operação de captura de um líder talibã na província de Nangarhar, no leste do país. Ela teria corrido e acabou sendo alvejada porque os soldados equivocadamente pensaram que ela estivesse armada, comunicou a Isaf.

Segundo relatos da imprensa local, a menina teria 12 anos. Na operação, foi morto ainda um homem, também por engano. Mais tarde, descobriu-se que era um policial. O líder do Talibã não foi capturado.

AS/afp/dpa/rtr
Revisão: Marcio Damasceno

Leia mais