1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura

Morre Wes Craven, mestre do cinema de terror

Considerado um dos responsáveis por redefinir o gênero, cineasta foi o criador da série de filmes de Freddy Krueger e da franquia "Pânico", com os quais alcançou sucesso de bilheteria. Ele sofria de câncer.

Morreu no último domingo (31/08), aos 76 anos, o diretor americano Wes Craven, considerado mestre do terror cinematográfico e um dos responsáveis por redefinir o gênero em duas décadas distintas, com A hora do pesadelo (1984) e Pânico (1996). Ele sofria de câncer no cérebro, e sua morte foi anunciada nesta segunda-feira pela família.

Craven é um dos expoentes do subgênero slasher, como ficaram conhecidos os filmes de terror envolvendo assassinos psicopatas, em produções com muito sangue e que, em geral, pecavam pela edição e roteiro. É o "terror B", do qual Freddy Krueger, de A hora do pesadelo, e Jason Voorhees, de Sexta-Feira 13, são os personagens mais conhecidos.

Bildergalerie Wes Craven Horrorfilme

Um dos maiores ícones do terror, Freddy Krueger, em "A hora do pesadelo", de 1984

A hora do pesadelo, seu primeiro sucesso, custou apenas 1,8 milhão de dólares. O filme lançou o assustador Freddy Krueger, um vilão que, com lâminas nos dedos, saía dos sonhos de suas vítimas para matá-las. Foi um sucesso de bilheteria, que arrecadou cerca de 25 milhões de dólares e resultou em oito sequências, além de uma série de TV.

“Descanse em paz Wes Craven, meu diretor, meu amigo. Um homem brilhante, amável, gentil e muito engraçado. Um dia triste em Elm Street e em toda parte. Eu vou sentir falta dele”, escreveu no Twitter Robert Englund, que interpretou Krueger.

Já na década de 1990, surgia a série de filmes Pânico (1996), que recriaria mais uma vez o medo nas telas, com referências satíricas ao gênero do horror, em produções que redefiniram Craven como diretor. O longa rendeu três sequências, embora apenas a primeira tenha sido sucesso de bilheteria. A máscara do assassino protagonista, inspirada na obra O Grito, de Edward Munch, permanece presente no imaginário dos espectadores.

Bildergalerie Wes Craven Horrorfilme

Drew barrymore interpretava Casey Becker na primeira edição do filme "Pânico", em 1996

Wes Craven dizia que os “filmes de terror não dão medo; eles o libertam”. Antes mesmo de seus dois grandes sucessos, ele já recebia atenção pela direção dos filmes “A última casa à esquerda” (1972) e “Quadrilha de sádicos” (1977), ambos refilmados nos anos 2000. Recentemente, o diretor estava desenvolvendo produções de televisão e adaptações de séries.

“Ele fez os pesadelos parecerem reais: as coisas que te assustam em teu subconsciente podem te alcançar”, disse o roteirista e produtor Richard Potter, que trabalhou com Craven nas edições dos filmes Pânico.

Wesley Earl “Wes” Craven nasceu em Cleveland, Ohio. Antes de começar a trabalhar com filmes, se formou em literatura inglesa, filosofia e psicologia. Seus primeiros longas, produzidos quando ainda era desconhecido, tinham caráter pornográfico, e ele assinava com pseudônimos. Além de diretor, Craver também foi professor e roteirista.

GS/ap/afs/dpa