Morre o cineasta Héctor Babenco | Cultura europeia, dos clássicos da arte a novas tendências | DW | 14.07.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura

Morre o cineasta Héctor Babenco

Argentino radicado no Brasil ficou conhecido por sucessos como "O beijo da mulher-aranha" e "Carandiru". Luta contra câncer inspirou seu último filme, lançado neste ano.

Héctor Babenco

Héctor Babenco no Festival de Cinema de Veneza, em 2014

O cineasta argentino-brasileiro Héctor Babenco morreu na noite desta quarta-feira (13/07), confirmou sua ex-mulher, Raquel Arnaud, à Folha de S. Paulo. Aos 70 anos de idade, ele sofreu uma parada cardíaca em casa.

Nascido na Argentina, Babenco vivia no Brasil desde os 19 anos de idade e se naturalizou brasileiro em 1977. Entre seus filmes estão O beijo da mulher-aranha, de 1984, que lhe rendeu uma indicação ao Oscar de melhor diretor.

Carandiru, de 2003, é um dos últimos sucessos do diretor. O filme é baseado no livro Estação Carandiru, de Drauzio Varella, que aborda o cotidiano na extinta Casa de Detenção, mais conhecida como Carandiru, em São Paulo, antes e durante o massacre de 1992.

O último longa do cineasta, Meu Amigo Hindu, foi lançado em março deste ano. Nele, Babenco recria a própria luta contra um câncer no sistema linfático, que durou oito anos.

LPF/ots

Leia mais