Morre aos 65 anos premiada arquiteta Zaha Hadid | Cultura europeia, dos clássicos da arte a novas tendências | DW | 31.03.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura

Morre aos 65 anos premiada arquiteta Zaha Hadid

Iraquiana construiu prédios emblemáticos, como o pavilhão aquático do parque olímpico de Londres. Ela foi a primeira mulher a receber o prestigiado prêmio Pritzker de arquitetura.

A iraquiana Zaha Hadid, a mulher de maior prestígio na arquitetura mundial, morreu nesta quinta-feira (31/03) aos 65 anos. Ela sofreu um ataque cardíaco, informou seu escritório em Londres.

"É com grande tristeza que o Zaha Hadid Architects confirma que Dame Zaha Hadid morreu subitamente em Miami, nas primeiras horas desta manhã", diz um comunicado.

O escritório afirmou que a arquiteta havia contraído bronquite no início desta semana e sofreu o ataque cardíaco enquanto estava sendo tratada num hospital.

Nascida em Bagdá em 1950, Hadid estudou Matemática na Universidade Americana de Beirute e foi para Londres em 1972.

Hadid desenhou o pavilhão aquático do parque olímpico de Londres, o Museu Nacional das Artes do Século 21 (MAXXI), em Roma, e a Ópera de Cantão, na China, entre outros prédios emblemáticos.

Ela foi a primeira mulher a receber o prêmio Pritzker, em 2004, considerada a premiação de mais prestígio da área. Ela também foi agraciada duas vezes com o Riba Stirling, o mais renomado prêmio de arquitetura britânico.

LPF/rtr/afp/efe

Leia mais