Moro manda soltar executivos da Odebrecht | Notícias e análises sobre os fatos mais relevantes do Brasil | DW | 20.12.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Brasil

Moro manda soltar executivos da Odebrecht

Juiz federal acata pedido de defesa e do Ministério Público Federal e manda libertar dois ex-funcionários da empreiteira. Marcelo Odebrecht, um dos proprietários da construtora, permanece preso.

Fachada da sede da Odebrecht em São Paulo

Fachada da sede da Odebrecht em São Paulo

O juiz federal Sérgio Moro, responsável pelas ações em primeira instância da Operação Lava Jato, mandou soltar nesta terça-feira (20/12) dois ex-executivos da Odebrecht que estavam presos desde março do ano passado. Apenas um dos proprietários da empreiteira, Marcelo Odebrecht, continua detido.

Moro determinou a soltura de Olívio Rodrigues Junior e Luiz Eduardo da Rocha Soares, acusados de atuar no Departamento de Operações Estruturadas da Odebrecht, setor responsável pelo pagamento de propina a políticos, de acordo com o Ministério Público Federal (MPF).

O juiz acatou um pedido da defesa e do próprio MPF, no mesmo dia, em que os depoimentos de delação de 77 executivos da empreiteira foram entregues ao Supremo Tribunal Federal (STF). A liberdade dos dois estava prevista no acordo feito com as autoridades.

Na decisão, Moro destacou que a prisão cautelar não tem mais justificativa, devido ao desmantelamento do setor e ao comprometimento da empreiteira de mudar suas práticas empresarias. Os executivos cumprem agora medidas cautelares e estão proibidos de deixar o país.

O juiz alegou que a permanência de Marcelo Odebrecht na prisão ocorre, pois a situação do empreiteiro seria diferente da dos dois executivos, já tendo sido julgado e condenado em outro processo. O executivo  foi condenado pelo juiz a 19 anos e quatro meses de prisão por crimes de corrupção passiva, associação criminosa e lavagem de dinheiro.

CN/abr/ots

Leia mais