1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Missão da UE e FMI chega a Atenas para nova auditoria

Resultado da avaliação deve sair só no final de agosto e determina se a Grécia vai receber nova parcela de ajuda. Primeiro-ministro grego desabafa após críticas de políticos europeus.

New Greek Prime Minister Antonis Samaras speaks to a colleague during a policy statement session at the parliament in Athens on Friday, July 6, 2012. Greece's Prime Minister Antonis Samaras says his new three-party coalition government is ready to carry out a broad series of structural reforms, and acknowledges the country's deficit reduction program has gone off target. (AP Photo/Kostas Tsironis)

Priemeiro-ministro grego desabafa após críticas

Técnicos da União Europeia (UE), do Fundo Monetário Internacional (FMI) e do Banco Central Europeu começam nesta terça-feira (24/07), em Atenas, a avaliar o desenvolvimento da política de contensão de gastos implementada pelo governo grego. A auditoria deve continuar até 6 de agosto.

Integrantes da chamada troika, formada por essas três instituições, devem se encontrar com o primeiro-ministro Antonis Samara na sexta-feira. O resultado da situação da economia grega deve ser divulgado somente no final de agosto. Da avaliação depende o repasse da nova parcela de ajuda à Grécia, de 31,5 bilhões de euros, prevista para setembro.

A troika e governo grego querem descobrir como poderão alcançar a meta de economizar 11,5 bilhões de euros, estimada para os 2013 e 2014. A Grécia quer mais tempo para alcançar a meta.

Samaras rebate críticas

Nesta terça, Samaras criticou os políticos europeus que alertam para a provável saída da Grécia da zona do euro. "Eu digo oficialmente que se trata de um menosprezo aos esforços da nossa nação", afirmou em discurso diante de um comitê parlamentar.

"Nós estamos fazendo de tudo para que nosso país consiga se reerguer e eles estão fazendo tudo o que está a seu alcance para que falhemos", desabafou o primeiro-ministro.

Samaras foi adiante, afirmando que não sabe se os críticos fazem isso conscientemente ou de forma tola. "Eu sei apenas que eles são irresponsáveis. Nós vamos conseguir", disse o chefe do governo grego.

Ele disse que o governo está empenhado em manter a Grécia no euro e que as metas acertadas com os credores serão cumpridas porque também se tratam de metas do governo. Para ele, entretanto, algumas medidas recessivas devem ser alteradas.

MP/dpa/lusa/rtr
Revisão: Alexandre Schossler

Leia mais