1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Ministro das Finanças de Portugal renuncia ao cargo

Principal arquiteto da política de austeridade do governo português encaminhou sua renúncia, já aceita pelo primeiro-ministro. Secretária de Estado do Tesouro, Maria Luís Albuquerque, assumirá as Finanças.

O ministro das Finanças de Portugal, Vítor Gaspar, apresentou nesta terça-feira (02/07) a sua renúncia ao cargo, já aceita pelo primeiro-ministro Pedro Passos Coelho.

Gaspar, que é considerado o arquiteto da política de austeridade no país, não quis revelar os motivos que o levaram a abandonar o cargo.

O governo português anunciou a secretária de Estado do Tesouro, Maria Luís Albuquerque, como a nova titular das Finanças.

Gaspar, de 52 anos, foi durante muito tempo o "homem forte" do governo português. No combate à crise da dívida, ele implementou uma série de medidas de austeridade e aumentos de impostos, tornando-se o ministro mais impopular do governo.

A oposição já havia pedido várias vezes para que ele deixasse o cargo. Os sindicatos realizaram quatro greves gerais em dois anos, como forma de protesto contra a sua política de austeridade.

A mudança na direção do Ministério das Finanças ocorre num momento em que Portugal está prestes a anunciar novas medidas de austeridade, para cumprir com as exigências de seus credores internacionais (União Europeia, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional).

Albuquerque, de 42 anos, é pouco conhecida da população portuguesa. A indicação dela surpreendeu a imprensa local, que apostava na nomeação do ministro da Saúde, Paulo Macedo.

O comissário europeu para Assuntos Econômicos, Olli Rehn, elogiou o "valioso trabalho" realizado por Gaspar e ressaltou que o ex-ministro ajudou "a assegurar a adoção de muitas medidas difíceis, mas necessárias para restaurar a confiança na sustentabilidade das finanças públicas" em Portugal.

Sobre a nova ministra, o comissário analisa que ela tem sido uma figura-chave no Ministério das Finanças português durante estes anos difíceis. Rehn afirmou não ter qualquer dúvida de que a nova ministra das Finanças assegurará uma transição sem sobressaltos.

RC/dpa/lusa

Leia mais