1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Brasil

Ministro das Cidades pede demissão

Bruno Araújo é o primeiro ministro do PSDB a deixar o governo Temer. Em carta, o tucano agradece ao presidente e alega falta de apoio dentro do partido para permanecer no cargo.

Bruno Araújo

Bruno Araújo assumiu o ministério em maio de 2016

O ministro das Cidades, Bruno Araújo, pediu demissão nesta segunda-feira (13/11). Ele é o primeiro ministro do PSDB a deixar o governo de Michel Temer e alegou falta de apoio dentro do partido para permanecer na pasta.

Na carta de demissão, Araújo agradeceu ao presidente pela confiança durante o período em que esteve à frente da pasta. "Agradeço a confiança do meu partido, no qual exerci toda a minha vida pública, e já não há mais nele apoio no tamanho que permita seguir essa tarefa”, acrescentou.

 "Tenho a convicção, presidente, que a serenidade da história vai reconhecer no seu governo resultados profundamente positivos para a sociedade brasileira. Receba minha exoneração e meus agradecimentos”, finalizou o ministro.

Nomeado em maio de 2016, Araújo participou da criação de programas como o Avançar e o Cartão Reforma. Ele reassumirá seu mandato como deputado federal por Pernambuco.

A demissão de Araújo ocorreu em meio a rumores sobre uma possível reforma ministerial, que indicaria o rompimento do PSDB com o governo, após o partido ter rachado na votação das denúncias contra Temer na Câmara.

Leia mais:Como votou cada deputado sobre a 2ª denúncia contra Temer

O PSDB possui ainda outros três ministros no governo: o das Relações Exteriores, Aloysio Nunes; o chefe da Secretaria do Governo, Antonio Imbassahy; e a secretária de Direitos Humanos, Luislinda Valois. Esses cargos são cobiçados por outros partidos da base aliada.

CN/lusa/abr/ots

----------------

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App

Leia mais