1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura

Ministro critica lei russa sobre devolução do butim de guerra

Negociação difícil para devolução de bens culturais. Nida-Rümelin acusou leis russas de inconformidade com normas internacionais. Ministro alemão apresentou nesta quarta-feira detalhes da Fundação Federal de Cultura.

A crítica do ministro alemão da Cultura, Julian Nida-Rümelin, foi publicada no jornal Isvestia, publicado em Moscou. "Apesar de a legislação não estar em conformidade com as normas internacionais, espero que seja encontrada uma solução política, devido às boas relações entre nossos países", disse o ministro.

Nida-Rümelin referiu-se à lei russa aprovada em 1999, contra a vontade do então presidente Bóris Ieltsin. Segundo a lei, pertencem à Rússia todos os bens culturais pilhados da Alemanha depois do fim da Segunda Guerra Mundial.

O ministro, no entanto, acrescentou reconhecer a complexidade do problema, "já que na época a Alemanha foi a agressora e deixou um rastro de destruição na Rússia". Apesar de as negociações entre os dois países já terem levado à devolução de alguns bens culturais saqueados após a guerra, cerca de 200 mil obras de arte e dois milhões de livros, entre outros, permanecem na Rússia.

Devolução de vitrais – Na viagem a Moscou encerrada na terça-feira (22), Nida-Rümelin engajou-se especialmente pela devolução dos vitrais da Igreja de Nossa Senhora (Marienkirche) de Frankfurt do Oder, no Leste alemão. Os vitrais, do século XIV, carecem de restauração e estão no Museu Hermitage, de São Petersburgo.

Segundo a lei russa, a arte sacra pode ser devolvida. Um conselho interministerial havia sugerido em Moscou no ano passado que a Duma decidiria sobre a entrega dos vitrais à Alemanha. Nida-Rümelin e seu colega de pasta Mikhail Shvidkoi acertaram os detalhes para encaminhar o assunto ao parlamento. Em abril, o Hermitage pretende expor alguns dos vitrais, restaurados provisoriamente.

Os ministros acertaram também que, pela primeira vez após a Segunda Guerra, uma exposição no final do próximo ano vai reunir as peças do Tesouro dos Merovíngios, espalhadas em diversos museus alemães e russos. Os merovíngios dominaram o oeste e parte do centro da Europa de 425 a 751 d.C.

Fundação Federal de Cultura – O ministro alemão da Cultura apresentou oficialmente nesta quarta-feira os objetivos da nova fundação de fomento à cultura. Ela foi aprovada pelo gabinete de governo em Berlim e começa a funcionar em março, com sede em Halle, no Leste do país.

Sua meta é o incentivo à cultura contemporânea e o intercâmbio com o exterior. Em princípio, o gerenciamento será federal, depois os estados participarão da administração. Este ano, a fundação terá um orçamento de mais de 13 milhões de euros.

Leia mais