1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Migração

Ministro alemão critica refugiados

Thomas de Maizière reclama de transtornos causados pelos imigrantes nos centros de acolhimento. Ministério do Interior quer criar "áreas de trânsito" nas fronteiras, para processamento rápido de pedidos de asilo.

O ministro do Interior da Alemanha, Thomas de Maizière, afirmou que o grande número de refugiados não registrados é um problema grave no país. Em entrevista à emissora ZDF na noite desta quinta-feira (1º/10), ele também criticou o comportamento de alguns refugiados.

"Até o verão europeu, os refugiados eram gratos por poderem estar entre nós. Eles perguntavam 'onde fica a polícia?', 'onde fica o departamento?', 'aonde devemos nos dirigir?". Segundo o ministro, isso mudou.

"Agora já há muitos refugiados que pensam determinar eles mesmos onde vão ficar. Eles deixam os abrigos, eles chamam um táxi – e surpreendentemente têm o dinheiro para viajar centenas de quilômetros pela Alemanha. Eles protestam porque não gostam das acomodações, criam caso porque não apreciam a comida, eles brigam nos abrigos de refugiados", continuou o ministro.

Apesar de ressalvar que esses problemas são causados por uma minoria, De Maizière afirmou que aqueles que chegam ao país devem ir para os locais para os quais forem enviados e respeitar as leis alemãs.

O sindicato dos policiais alemães alertou para um aumento da violência nos centros de acolhimento de refugiados. O presidente da entidade, Rainer Wendt, afirmou ao jornal alemão Bild que a situação pode ficar fora de controle não apenas nas fronteiras, mas também nos abrigos. Ele afirma que quase diariamente há relatos de atritos por causa de diferenças étnicas ou religiosas.

Área de trânsito nas fronteiras

De Maizière também defendeu que haja um processo rápido para os requerentes de asilo nas fronteiras alemãs, a exemplo do que já acontece nos aeroportos. Nesta sexta-feira, um porta-voz do Ministério do Interior confirmou que um projeto de lei nesse sentido está em fase de elaboração.

O projeto prevê a criação, nas fronteiras, de "áreas de trânsito", a exemplo das que existem nos aeroportos. Um requerente de asilo ficaria nessa área até ter o seu caso analisado. A medida visa principalmente os requerentes dos países dos Bálcãs, que têm poucas chances de conseguir asilo na Alemanha e cujos casos podem, assim, ser analisados rapidamente.

A iniciativa do ministro foi alvo de críticas, inclusive de membros do Partido Social Democrata (SPD), que compõe a coalizão governista juntamente com a União Democrata Cristã (CDU), da chanceler federal Angela Merkel. O líder da bancada social-democrata, Ralf Stegner, declarou ao jornal Tagesspiegel que tais propostas "não ajudam e apenas geram incertezas", e disse que o SPD rejeitará restrições ao direito fundamental de asilo.

Autoridades do estado da Baviera afirmaram que, só em setembro, entre 210 mil e 220 mil pessoas entraram na Alemanha em busca de asilo. O país espera receber no mínimo 800 mill refugiados até o final do ano. Alguns estimam que esse número poderá chegar a um milhão.

RC/apf/epd/dpa/ots

Leia mais