1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Ministro alemão anuncia pacote de investimentos de 10 bilhões de euros

Wolfgang Schäuble pretende destinar mais verbas à infraestrutura. Assim, o chefe da pasta de Finanças reage a críticas de dentro e de fora do país, alinhando a Alemanha aos esforços comuns da União Europeia.

default

Ministro das Finanças Wolfgang Schäuble

O ministro das Finanças da Alemanha, Wolfgang Schäuble, anunciou nesta quinta-feira (06/11) um pacote de investimentos para infraestrutura no valor de 10 bilhões de euros. As verbas, destinadas em grande parte ao saneamento das vias rodoviárias do país, deverão ser liberadas entre os anos de 2016 e 2018.

O político democrata-cristão assegurou que sua proposta conta com a aprovação da chanceler federal, Angela Merkel, e do ministro da Economia, Sigmar Gabriel. Segundo este, os investimentos se dirigiriam, em especial, às áreas relacionadas ao crescimento econômico. "Estas são, em primeiro lugar, eficiência energética e saneamento de construções. E naturalmente precisamos criar incentivos para investimentos privados", comentou Gabriel.

Schäuble prometeu apresentar sugestões concretas para o pacote no próximo ano, quando montar o orçamento federal de 2016. Para reunir o dinheiro necessário, ele disse pretender utilizar reservas do orçamento federal oriundas das baixas taxas de juros. Além disso, o ministro conta com o aumento continuado das arrecadações de impostos. Fora isso, observou, "com uma disciplina de gastos rigorosa" haverá margem de manobra para cumprir o plano.

Farpas e críticas

Com o anúncio, o ministro reage a recentes críticas – tanto internas quanto da União Europeia (UE) e de organizações internacionais – de que a Alemanha não estaria investindo o suficiente na melhora de sua infraestrutura. O contrato de coalizão governamental entre conservadores cristãos e social-democratas prevê para o total da atual legislatura, até 2017, apenas a aplicação de 5 bilhões de euros adicionais para esse fim.

Em visita a Berlim, em meados de outubro, o ministro francês das Finanças, Emmanuel Macron, lançara uma farpa contra Schäuble, ao propor que, se a França vai ter economizar 50 bilhões de euros, então, seria hora de a Alemanha também investir 50 bilhões de euros a mais.

Tanto para a oposição quanto para alguns economistas, o pacote anunciado é insuficiente. O líder da bancada verde no Parlamento, Anton Hofreiter, classificou a soma de 10 bilhões de euros como "ridícula", além de considerar inconvincentes as explicações de Schäuble sobre a eventual origem das verbas adicionais.

Inabalável, o ministro de 72 anos rebateu os céticos: "Dificilmente eu anuncio algo sem estar seguro de que vou fazê-lo." Além disso, sublinhou, ele está agindo agora para que não irrompa também em seu país o clima generalizado de depressão.

Schäuble expressou certeza de que Alemanha está dando sua contribuição aos esforços comuns da Europa por maiores investimentos. Recentemente, o chefe do Eurogrupo, Jeroen Dijsselbloem, voltara a instar o governo alemão a utilizar seus excedentes orçamentários a fim de fortalecer, com mais investimentos, o crescimento econômico de todo o bloco europeu.

Nesta terça-feira, a Comissão Europeia baixou de 1,2% para 0,8% os prognósticos de crescimento econômico na zona do euro para este ano. O órgão executivo da UE também está mais cético quanto às perspectivas alemãs de crescimento, que deve ser de 1,3% em 2014.

AV/rtr/dpa

Leia mais