Milho faz barulho ao crescer, apontam cientistas | Novidades da ciência para melhorar a qualidade de vida | DW | 03.12.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Ciência e Saúde

Milho faz barulho ao crescer, apontam cientistas

Estudando como reduzir perdas da safra de milho devido à ação do vento, pesquisadores de Nova York "escutam a grama crescer". Método acústico é semelhante ao utilizado por engenheiros mecânicos na pesquisa de materiais.

Quem "ouve até a grama crescer", como diz o provérbio alemão, ou escuta muitíssimo bem, ou reage com sensibilidade extrema a boatos e informações. A pessoa está bem informada – por vezes, até bem demais – e é capaz de reconhecer as tendências antes que outros as percebam.

No entanto, quando uma equipe de pesquisa da Universidade de Nova York encabeçada por Douglas Cook torna audível o crescimento da grama, a intenção é menos prever o futuro do que o presente. O milho é uma gramínea, mais precisamente um cereal da família Poaceae, e auscultando-o, os cientistas esperam reduzir as perdas no cultivo devido às quebras causadas pelo vento.

Métodos da engenharia mecânica na agricultura

Com uma safra anual de 350 milhões de toneladas, o milho é o cereal economicamente mais importante para os Estados Unidos. No entanto, muito se perde devido à ação do vento. Os cientistas de Nova York decidiram abordar o problema com métodos normalmente empregados pelos engenheiros mecânicos na pesquisa de materiais.

Halterofilista na Rio 2016

Treinamento muscular também produz rupturas, cujo reparo resulta em maior massa

"A ruptura de material é como um terremoto microscópico: a súbita liberação de tensões internas emite ondas sonoras que se propagam em todas as direções", relatou Cook durante um congresso da Acoustical Society of America (ASA) em Honolulu. Ele e seus colaboradores captaram e mediram essas ondas com a ajuda de microfones piezoelétricos.

Quando o milho cresce, o som é semelhante ao que produz ao se partir, descreveu o biomecânico. "Nós acreditamos que o crescimento acarreta milhões de microrrupturas, os quais levam a planta a consertar as áreas danificadas", explicou.

Esse processo, em que rupturas aparecem e são constantemente reparadas, acaba resultando em que a planta fique cada vez maior. Ele é comparável ao crescimento muscular: quem treina muito tem ocasionalmente dores musculares, mas no geral seus músculos se fortalecem.

Cook e sua equipe constataram que, durante o crescimento acelerado, as folhas dos pés de milho contribuem até certo ponto para a estabilidade do caule. Se os plantadores conseguirem desenvolver novas espécies com folhas mais firmes, estas poderão ajudar a combater a ação do vento.

Leia mais