1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Milhares vão às ruas de Moscou em novo protesto contra Putin

Dezenas de milhares de pessoas foram às ruas da capital russa neste sábado para protestar contra presidente, quatro meses após ele assumir seu novo mandato. Passeatas ocorreram também em outras cidades do país.

Opposition activists and supporters take part in an anti-Putin protest in central in Moscow, on September 15, 2012. Thousands marched today through Moscow to protest against the rule of Vladimir Putin in a test of the opposition's challenge to the Russian president four months after his inauguration. AFP PHOTO / KIRILL KUDRYAVTSEV (Photo credit should read KIRILL KUDRYAVTSEV/AFP/GettyImages)

Anti Putin Proteste Moskau Russland

Dezenas de milhares de pessoas foram às ruas de Moscou neste sábado (15/09) para protestar contra o presidente Vladimir Putin, quatro meses depois de o líder russo assumir seu novo mandato.

Um mar de pessoas de diversas correntes políticas, portando bandeiras vermelhas do socialismo, tricolores nacionalistas ou slogans liberais encheram a avenida em Moscou que leva o nome do grande físico e festejado dissidente soviético Andrei Sakharov.

Segundo estimativas da agência de notícias AFP, a manifestação reuniu cerca de 40 mil pessoas na chamada "marcha dos milhões". A polícia estipulou o número de participantes em 14 mil, enquanto os organizadores afirmaram que 150 mil pessoas estiveram presentes.

Dignidade humana

O líder oposicionista Alexander Navalny apelou aos manifestantes para que se preparem para uma luta longa e que participem regularmente de protestos "como se fossem ao trabalho". "Tudo o que queremos é simplesmente liberdade, nada mais do que igualdade e dignidade humana", disse, sob os aplausos da multidão.

Os protestos ganharam ainda mais força após a exclusão do Parlamento russo, no dia anterior, de um proeminente crítico de Putin, Guenadi Gudkov. Ele advertira o governo em um discurso, afirmando que, sem reformas, o regime irá acabar "banhado em sangue ou sendo derrubado". A polícia afirma que deslocou 7 mil policiais para o local, para evitar "provocações".

"Dia cheio"

O Kremlin pareceu não se incomodar com os protestos. "Vladimir Vladimirovich [Putin] teve um dia cheio", desconversou um porta-voz. "Infelizmente, não tivemos oportunidade alguma de observar o evento."

Essa é a primeira grande passeata em Moscou contra o Kremlin desde junho. A exigência da libertação das jovens do grupo Pussy Riot foi uma das mais gritadas pelos manifestantes, além do coro pedindo uma "Rússia sem Putin". Faixas levadas pelos manifestantes estampavam apelos como "Eleições antecipadas!" e "Contra a repressão!".

Manifestações contra o Kremlin foram registradas também em outras cidades russas. Em São Petersburgo, cerca de 2.500 pessoas protestaram. Em Yekaterimburgo, nos Urais, até 800 ativistas foram às ruas. A manifestação em Vladivostok reuniu, segundo a polícia e os organizadores, apenas uma dezena de pessoas.

MD/afp/lusa/rtr
Revisão: Augusto Valente

Leia mais