Milhares protestam em base americana na Alemanha | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 11.06.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Milhares protestam em base americana na Alemanha

Cerca de 5 mil manifestantes fazem corrente humana em Ramstein em protesto contra o programa de drones dos EUA. Base seria centro de coordenação da guerra aérea contra alvos em países como Iêmen, Síria e Paquistão.

O protesto deste sábado foi organizado pela aliança Stop Ramstein - No Drone War

O protesto deste sábado foi organizado pela aliança "Stop Ramstein - No Drone War"

Um grupo de cerca de 5 mil manifestantes formou uma corrente humana neste sábado (11/06) em torno da base da Força Aérea americana de Ramstein, no oeste da Alemanha, em protesto contra o uso de drones pelos Estados Unidos.

Os manifestantes argumentam, com base em relatos da imprensa alemã, que é da base de Ramstein, a principal dos EUA na Europa, que é realizada a coordenação da guerra aérea contra alvos em Iêmen, Somália, Afeganistão, Paquistão e Síria.

Os drones enviariam, através de satélites, dados e imagens à base na Alemanha. De lá, eles seriam repassados aos pilotos dos aviões não tripulados, cuja maioria está em território americano.

O protesto deste sábado foi organizado pela aliança "Stop Ramstein - No Drone War" (Pare Ramstein, não à guerra com drones), que diz que permitir o tráfego de dados para o posicionamento de drones a partir da base vai contra a Constituição alemã.

Os manifestantes – entre 3 e 4 mil segundo a polícia, até 7 mil segundo os organizadores do ato – defendem o fechamento da estação retransmissora via satélite da base.

Os manifestantes: entre 3 e 4 mil segundo a polícia, até 7 mil segundo os organizadores do ato

Os manifestantes: entre 3 e 4 mil segundo a polícia, até 7 mil segundo os organizadores do ato

Segundo revelou há dois anos o ex-controlador de drones Brandon Bryant, sem a Alemanha, a guerra com drones dos militares americanos "não seria possível" devido à grande distância entre os controladores nos EUA e as áreas de operação das aeronaves.

Desde a denúncia, EUA e Alemanha evitam responder de forma direta a perguntas relacionadas ao tema, e sempre tentam minimizar a importância da base aérea.

Presente no protesto, o ex-ministro das Finanças alemão Oskar Lafontaine disse que o silêncio de Berlim é uma contradição: ao mesmo tempo em que acolhe refugiados, o país ajuda a promover guerras nas regiões de onde eles fogem.

O uso de aeronaves não tripuladas é altamente controverso na Alemanha, onde reina uma aversão aos conflitos militares desde a Segunda Guerra Mundial. O programa militar dos EUA de drones se expandiu na última década e se tornou peça-chave em ações de vigilância e de ataque.

RPR/dpa/ots

Leia mais