1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Milhares participam do velório de líder da oposição na Tunísia

Chokri Belaid foi assassinado a tiros na quarta-feira em frente à sua casa. Desde então, uma onda de protestos tomou conta da capital Tunis. Uma greve geral foi convocada no país.

Nesta sexta-feira (08/02), cerca de 10 mil pessoas participaram na Tunísia do funeral do líder da oposição, Chokri Belaid. Desde o início da manhã, milhares de pessoas foram até o Centro Cultural de Tunis, onde Belaid foi velado, para prestar a última homenagem ao carismático advogado de direitos humanos e crítico do governo, que é liderado pelos islamistas do Ennahda.

O sindicato geral dos trabalhadores tunisianos e quatro grupos oposicionistas convocaram uma ampla greve para dia do funeral. Ainda não se sabe ao certo quantas pessoas realmente participaram da greve. O sindicato engloba cerca de 500 mil trabalhadores.

Os efeitos da greve foram sentidos na cidade. As ruas estavam desertas e muitas lojas e fábricas permaneceram fechadas. O aeroporto internacional foi fechado e todos os voos foram cancelados.

Belaid era coordenador da coalizão de esquerda Frente Popular. Ele foi assassinado com um tiro em frente à sua casa na quarta-feira. Nos últimos meses, ele vinha criticando veementemente o governo. Sua família acusa o Ennahda pelo assassinato. O partido nega as acusações.

O assassinato desencadeou uma série de protestos no país. Multidões atacaram vários escritórios do Ennahda na capital e em outras cidades.

Após o assassinato, o primeiro-ministro tunisiano, Hamdi Jebali, disse que quer dissolver o governo e formar um gabinete com tecnocratas apartidários até as eleições, mesmo diante dos protestos dentro do seu próprio partido. A oposição recebeu bem a ideia de Jebali.

CN/dw/afp/dpa
Revisão: Francis França

Leia mais