1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Milhares marcham rumo a Srebrenica

Às vésperas do 20º aniversário do massacre, marcha refaz trajeto percorrido por cerca de 15 mil muçulmanos em 1995. Grande parte deles foi morta por forças sérvio-bósnias.

default

Cemitério e monumento em memória dos mortos no Massacre de Srebrenica, em Potocari

Milhares de pessoas deram início nesta quarta-feira (08/07) a uma marcha anual de 100 quilômetros em memória às vítimas do massacre na cidade bósnia de Srebrenica, ocorrido entre 11 e 13 de julho de 1995.

Os participantes da chamada "marcha da paz" estão refazendo o trajeto percorrido por 10 a 15 mil muçulmanos bósnios. Eles fugiram das forças sérvio-bósnias que avançavam em direção à cidade, no leste do país. Cerca de 3 a 4 mil homens armados lideraram o grupo, e o restantes eram civis desarmados.

O enclave de Srebrenica havia sido declarado área de proteção das Nações Unidas em 1993, atraindo milhares de bósnios muçulmanos em busca de refúgio. Em julho de 1995, sérvios bósnios, sob o comando do general Ratko Mladic, atacaram a região, matando quase 8 mil dos homens e jovens muçulmanos. A maioria dos que conseguiram escapar chegou ao território sob controle muçulmano cinco dias após a partida.

A marcha de três dias iniciada nesta quarta-feira é realizada na direção contrária, de Nezuk a Srebrenica, e deve chegar no sábado ao monumento em memória dos mortos no massacre, na base de Potocari, para atos em memória dos cries ocorridos há duas décadas.

Muitos dos que participam da marcha vestem camisetas brancas com os dizeres "Eu sobrevivi".

"Participo desta marcha todo ano para que àquilo que sobrevivemos não seja esquecido", diz Nedzad Mujic, de 46 anos, que perdeu pai, o irmão e outros membros da família no massacre. "O mundo inteiro não deveria esquecer; um genocídio foi cometido aqui."

Os restos mortais de mais de 6 mil vítimas de Srebrenica foram encontrados numa série de valas coletivas, identificados e enterrados novamente. O massacre aconteceu meses antes do fim da Guerra da Bósnia, que deixou cerca de 100 mil mortos entre 1992 e 1995.

O primeiro-ministro sérvio, Aleksandar Vucic, declarou na noite de terça-feira que irá a Srebrenica no sábado para representar seu país nas celebrações do 20º aniversário do massacre. Ao comunicar a decisão, Vucic afirmou que a Sérvia "é capaz de admitir que alguns indivíduos cometeram crimes".

"Condenamos cada um desses graves e horrorosos crimes e sentenciaremos cada um desses criminosos. Creio que esta seja a melhor mensagem de reconciliação", disse o premiê.

LPF/afp/dpa/efe

Leia mais