1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

"Milagres podem se tornar realidade", diz mãe de filipina poupada de execução

Mary Jane Veloso consegue escapar do fuzilamento na Indonésia no último minuto, mas autoridades ressaltam que sentença não foi cancelada. Pessoa que a teria enganado se apresenta à polícia.

A mãe da filipina que escapou do fuzilamento nos primeiros minutos desta quarta-feira (29/04) na Indonésia (horário local) deu uma entrevista emocionada a uma rádio de seu país, afirmando que "milagres podem se tornar realidade".

"Deus ouviu as nossas preces", disse Célia Veloso, mãe de Mary Jane Veloso, condenada à morte por tráfico de drogas. "Estamos muito felizes. Os filhos dela estavam acordados e gritavam contentes: 'Mamãe vai viver'", contou.

As irmãs de Mary Jane já estavam na ilha de Nusakambangan aguardando para trazer o corpo dela, ressaltou Célia. "Ela me falou: 'Se Deus quiser que eu viva, eu vou viver, nem que seja por um fio, no último minuto.' E agora o que ela falou tornou-se realidade", comemorou.

A filipina de 30 anos estava entre os nove condenados que seriam executados nesta quarta-feira na prisão de segurança máxima na ilha de Nusakambangan. No entanto, apenas oito – entre eles o brasileiro Rodrigo Gularte – foram fuzilados. Segundo as autoridades indonésias, porém, novos questionamentos no caso de Veloso foram abertos.

Indonesien Todesstrafe Drogenschmuggeler

As irmãs de Mary Jane Veloso, Darling (d) e Marites (c) abraçam o advogado ao saberem que ela não foi fuzilada

Presa em 2010 no aeroporto da cidade de Yogyakarta, depois que agentes do governo descobriram 2,5 kg de heroína escondidos em sua bagagem, a filipina foi condenada à morte, mas escapou do fuzilamento quando já estava tudo preparado.

O procurador-geral da Indonésia, Muhammad Prasetyo, explicou que ela foi poupada porque seu suposto chefe na época se apresentou à polícia nas Filipinas, e as autoridades do país pediram assistência da Indonésia no caso.

Segundo notícias veiculadas pelo canal MetroTV e o jornal Jakarta Post, a pessoa que se apresentou à polícia teria recrutado Veloso e a enganado para levar drogas para a Indonésia.

"Este atraso não cancela a execução. Queremos apenas dar uma chance ao andamento do processo legal nas Filipinas", frisou Prasetyo.

Nascida em uma família pobre, Veloso é mãe de dois meninos, um de 12 e o outro de 6 anos de idade. Ela garante que foi à Indonésia em busca de um emprego como empregada, mas acabou sendo ludibriada por uma organização internacional de tráfico de drogas.

Ela teria recebido inicialmente uma oferta de emprego na Malásia, mas chegando lá foi informada de que a vaga era na Indonésia, para onde voou imediatamente. Segundo sua defesa, a droga foi escondida na mala dela na Malásia.

A condenação de Mary Jane Veloso causou grande comoção nas Filipinas, com manifestações quase diárias pedindo clemência. Um grupo de ativistas fazia vigília em frente à embaixada da Indonésia em Manila e comemorou a notícia de que, pelo menos por enquanto, a filipina não foi colocada diante do pelotão de fuzilamento.

MSB/afp/ap

Leia mais